X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Ativistas enviam vídeos de K-pop para Coreia do Norte após 'balões de cocô'

Ministro da Defesa sul-coreano, Shin Won-sik, já disse anteriormente aprovar a atitude dos ativistas


Imagem ilustrativa da imagem Ativistas enviam vídeos de K-pop para Coreia do Norte após 'balões de cocô'
Panfletos, dinheiro e gravações de K-pop foram enviados em balões |  Foto: Reprodução/Primeiro Impacto

Um grupo ativista da Coreia do Sul disse nesta quinta-feira (6) ter enviado balões com panfletos, gravações de K-pop e dinheiro para a Coreia do Norte, em resposta ao recebimento de lixo.

Ativistas do Fighters For Free North Korea lançaram dez balões, partindo da cidade fronteiriça de Pocheon. ''O inimigo do povo, King Jong-un, enviou sujeira e lixo ao povo sul-coreano, mas nós enviamos verdade e amor'', dizia o cartaz de um desertor.

Eles enviaram 5 mil pendrives com vídeos de K-pop e K-dramas. Além disso, 200 mil panfletos com críticas ao regime do líder Kim Jong Un e 2 mil notas de dólares.

O ministro da Defesa sul-coreano, Shin Won-sik, já disse anteriormente aprovar a atitude dos ativistas. Ele contou considerar o envio de produtos audiovisuais e panfletos como uma ''ajuda humanitária''.

A ação ocorre depois que o Norte confirmou ter enviado mais de 3.000 balões com 15 toneladas de lixo para o Sul. A suposta ''brincadeira'', que incluía fezes, gerou um crise diplomática entre os dois países e levou Seul a suspender um pacto militar intercoreano de 2018.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: