X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Antony Blinken diz que EUA e Brasil são parceiros e trabalham de forma bilateral e global


O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, afirmou que o país e o Brasil formam uma parceria "muito importante" e trabalham juntos de forma bilateral, regional e mundial. De acordo com Blinken, a reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na manhã desta quarta-feira (21) foi ótima. O secretário agradeceu ao chefe do Executivo brasileiro pela amizade entre os dois países.

A visita ocorre no âmbito da reunião de chanceleres do G20, que será realizada no Rio de Janeiro, mas coincide com a crise diplomática entre Brasil e Israel, que tem nos Estados Unidos um dos seus maiores aliados. O encontro entre Blinken e Lula teve início por volta das 9h e durou cerca de 1h50.

"Foi uma ótima reunião. Sou muito grato ao presidente pelo seu tempo", disse o secretário de Estados dos EUA a jornalistas ao deixar o Palácio do Planalto. "Os Estados Unidos e o Brasil estão fazendo coisas muito importantes juntos. Estamos trabalhando juntos bilateralmente, regionalmente, mundialmente. É uma parceria muito importante e somos gratos pela amizade", acrescentou.

Declaração de Lula

Blinken foi questionado se tratou com Lula sobre a Faixa de Gaza. O secretário, contudo, não respondeu.

No domingo, dia 18, em entrevista coletiva de imprensa realizada na Etiópia, o chefe do Executivo brasileiro fez uma comparação entre a morte de palestinos com o extermínio de judeus feito pelo líder da Alemanha Nazista, Adolf Hitler. Durante o regime nazista, que ocorreu entre 1933 e 1945, 6 milhões de judeus foram mortos.

"O que está acontecendo na Faixa de Gaza com o povo palestino não existiu em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu. Quando Hitler resolveu matar os judeus", afirmou Lula a jornalistas em Adis Abeba, na Etiópia, onde participou como convidado da cúpula anual da União Africana. As declarações foram imediatamente repudiadas pelo primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, que afirmou que Lula "atravessou uma linha vermelha".

Blinken é judeu e comanda a política externa americana. O porta-voz do Departamento de Estado, Matthew Miller, disse, nesta terça-feira, 20, que os Estados Unidos discordam da comparação feita pelo presidente brasileiro.

O chefe da diplomacia americana chegou na terça-feira, 20, ao Brasil para se reunir nesta quarta com Lula em Brasília. Da capital federal, seguirá para o Rio de Janeiro, onde participa do encontro de ministros das Relações Exteriores do G20.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: