search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Inteligência
Painel da Folha de São Paulo

Inteligência

 (Foto: Isac Nóbrega/PR)
(Foto: Isac Nóbrega/PR)

A declaração de Jair Bolsonaro, dada na sexta (22) à rádio Jovem Pan, para tentar justificar o que seria seu sistema particular de informações foi considerada um tiro no pé por advogados criminalistas e ministros de Cortes superiores.

Ele afirmou que policiais são as fontes dos dados que recebe justamente no momento em que autoridades investigam a denúncia de Paulo Marinho de que a família do Presidente soube antecipadamente de uma operação da Polícia Federal por um vazamento.

Canais

Em entrevista à Folha de S. Paulo, o empresário acusou Flávio Bolsonaro de ter recebido informação de um delegado da PF sobre investigações de Fabrício Queiroz, ex-assessor da família, entre o primeiro e o segundo turno da eleição, em 2018. A Folha mostrou nesta semana que outro caso semelhante ocorreu em agosto do passado.

Minha Abin

A fala de Bolsonaro na reunião ministerial trouxe à tona de novo a desconfiança sobre um sistema de informação paralelo no governo.

Clareza

O principal ponto que confirma que Bolsonaro fazia referência à PF do Rio para investigadores é o fato de ele ter mencionado “amigos” no contexto, o que não é de responsabilidade da segurança oferecida pelo GSI (Gabinete de Segurança Institucional).

Nada

O Painel perguntou para a pasta se cuida de algum amigo do Presidente, mas não houve resposta.

Protegidos

Em agosto de 2019, Bolsonaro se irritou com uma investigação no Rio em que apareceu um homônimo de Hélio Negão, que é seu aliado. O Presidente e Sergio Moro sustentavam que havia uma fraude, mas o Ministério Público disse que não viu problema no inquérito.

Propaganda

Nos bastidores do meio político, a avaliação é de que Bolsonaro mais ganhou do que perdeu com a divulgação do vídeo. O ex-ministro Sergio Moro aponta o encontro como prova do seu relato, de interferência do Presidente na Polícia Federal.

Ok

A íntegra, no entanto, mostra um Bolsonaro que xinga os contumazes adversários, como João Doria (PSDB-SP) e Wilson Witzel (PSC-RJ), e fala do desespero das pessoas sem renda durante o isolamento. Para líderes do Centrão, o vídeo não comprova as acusações e, portanto, terá pouca repercussão no Congresso.

Pressão

A Secretaria de Comunicação do governo Jair Bolsonaro apagou um tuíte publicado na quinta em que dizia que a “hidroxicloroquina é o tratamento mais eficaz contra o coronavírus atualmente disponível”.

Fiscais

No Twitter, centenas de usuários relataram ter denunciado a publicação como “incitação ao suicídio”, na tentativa de que a plataforma excluísse o conteúdo. No entanto, antes que a empresa tomasse qualquer decisão, a Secom presidencial apagou a mensagem. Não há comprovação científica do uso do remédio para Covid-19.

Pausa

O delegado Márcio Adriano Anselmo, um dos responsáveis pelas investigações que deram início à Operação Lava a Jato, vai deixar o posto de coordenador-geral de Repressão à Corrupção e Lavagem de Dinheiro da Polícia Federal. Ele vai fazer um curso nos Estados Unidos.

Contratação

Anselmo será substituído pelo delegado Thiago Delabary, atual chefe da Inteligência do Rio Grande do Sul. O policial fez parte do grupo que investigava desvios de recursos públicos com envolvimento de políticos no exercício do mandato. Ele fez, por exemplo, a delação premiada do ex-ministro Antônio Palocci.

Lista

O apresentador de TV e presidenciável Luciano Huck publicou uma mensagem nas redes sociais em que elenca razões para mostrar que o Brasil está sem controle no governo Jair Bolsonaro. Entre elas, ele aponta a nomeação de um advogado criminalista para o Ministério da Saúde.

QI

Como mostrou o Painel, tornou-se um mistério na pasta a nomeação do criminalista Zoser Hardman de Araújo. Em sua trajetória, o advogado defendeu milicianos do Rio de Janeiro, como Cristiano Girão, Wallace Pires (Robocop) e Ricardo Gildes (Dentuço). O autor da indicação não foi identificado até agora.

Tiroteio

“General Heleno envergonha a farda. Não haverá espaço para maiores retrocessos democráticos. Resistiremos.”

Do advogado Marco Aurélio de Carvalho, do grupo Prerrogativas, sobre a nota do ministro do GSI.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Dupla dinâmica

Os ataques de Jair Bolsonaro ao STF têm na mira principalmente dois ministros, Alexandre de Moraes e Celso de Mello, que o Presidente elegeu como inimigos próprios. Ontem, Bolsonaro compartilhou um …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Em série

Além de mostrar a tentativa de interferência indevida na Polícia Federal para proteger amigos e família, a reunião ministerial revelou ação semelhante de Jair Bolsonaro no Iphan, responsável por …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

De onde veio

Virou mistério para integrantes do Ministério da Saúde o responsável pela nomeação de Zoser Hardman de Araújo para o cargo de assessor especial do ministro. Causou mais estranheza o fato de ele ser …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Ritmo de festa

Um dos nove militares nomeados por Jair Bolsonaro para o Ministério da Saúde na terça-feira, Giovani Camarão, futuro coordenador de Finanças do Fundo Nacional de Saúde, publicou foto nas redes …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Prorrogação

As novas declarações do delegado Carlos Henrique Oliveira, diretor-executivo da Polícia Federal, foram recebidas como duro golpe nas versões de Alexandre Ramagem e Jair Bolsonaro no inquérito que …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Nada com isso

Em conversas com delegados, ontem, Alexandre Ramagem, diretor da Abin, se mostrou irritado em ver seu nome ligado ao caso do vazamento da operação Furna da Onça à família Bolsonaro e afirmou não ter …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Causa e consequência

Procuradores e ministros de tribunais superiores avaliam que o relato de Paulo Marinho à Folha, sobre o vazamento de uma investigação da Polícia Federal ao senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Tem mais

A resistência que Jair Bolsonaro encontrou no ex-ministro Nelson Teich (Saúde) à ampliação do uso da cloroquina para quadros leves do coronavírus é ecoada pelos secretários estaduais da área, que se …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Enviada especial

Mesmo sem qualquer capacitação técnica ou responsabilidade formal por assuntos da Saúde, Damares Alves (Direitos Humanos) pegou um avião às 5h da manhã da última quinta-feira para Floriano (PI), a …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Dupla identidade

O dia de ontem foi considerado por políticos o exemplo perfeito do desgoverno que há em Brasília. Jair Bolsonaro acenou a governadores para, depois, atacá-los. Falou mal de Rodrigo Maia (DEM-RJ) e, …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados