search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Injeção para emagrecer liberada para adolescentes tem efeitos colaterais

Notícias

Publicidade | Anuncie

Saúde

Injeção para emagrecer liberada para adolescentes tem efeitos colaterais


A notícia da liberação da injeção liraglutida para o tratamento de adolescentes acima do peso animou muitos pais, mas os médicos alertam para os efeitos colaterais do medicamento, que já é usado por adultos.

“Como há uma alta frequência de efeitos adversos moderados, principalmente hipoglicemia e efeitos gastrointestinais, como náuseas, vômitos e diarreia, esse tratamento deve ser muito bem indicado, não sendo recomendado para todos os pacientes”, explicou a endocrinologista pediátrica Nadia Klein.

A médica afirmou ainda que o tratamento é restrito “àqueles pacientes com obesidade mais severa ou obesidade associada a outra doença ou fator de risco, quando não houve melhora do quadro com a mudança isolada do estilo de vida. Os efeitos colaterais da medicação diminuem ou desaparecem após um a dois meses de uso”.

Há critérios para o uso da injeção, como peso corporal acima de 60 quilos e índice de massa corpórea (IMC) igual ou maior que 30. A mesma indicação já se encontra aprovada para pacientes adultos.

 (Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)
(Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)

O Brasil é o primeiro a liberar esse medicamento para adolescentes a partir dos 12 anos, segundo o médico nutrólogo e professor da pós-graduação de Nutrologia do Albert Einstein, Roger Bongestab.

“É muito importante focarmos na mudança do estilo de vida antes de qualquer associação com a medicação. Temos de deixar claro que é uma medicação nova para adolescente, mas ela já existe para tratamento de diabetes e obesidades em adultos. É uma medicação que tem de ser ponderados os riscos e benefícios antes de se prescrever. A família, como estamos lidando com criança e adolescentes, precisa estar envolvida”, explicou o médico nutrólogo.

SAIBA MAIS

Aprovação

  • A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, pela primeira vez, a liraglutida, remédio já indicado para perda de peso em adultos, para uso em adolescentes, a partir dos 12 anos. O Brasil é o primeiro país a permitir o uso da injeção para essa faixa etária.
  • Há critérios para o uso, como peso corporal acima de 60 kg e índice de massa corpórea (IMC) igual ou maior que 30. A mesma indicação já é aprovada para pacientes adultos.
  • A liraglutida retarda o esvaziamento gástrico e induz a perda de peso, por meio da redução do apetite e diminuição da ingestão de calorias. Associada a uma mudança no estilo de vida, ela apresentou diminuição do IMC, melhorias na glicose e no colesterol. O tratamento não causou prejuízo ao crescimento e desenvolvimento da puberdade.

Obesidade

  • Pesquisas do Ministério da Saúde indicam que 12,9% das crianças brasileiras de 5 a 9 anos são obesas e 18,9% dos adultos estão acima do peso. A estimativa é que, para 70% das crianças com obesidade, o problema evolui para doença na fase adulta.

Fonte: Anvisa, Ministério da Saúde e médicos consultados.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados