search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Hobbies para passar o tempo no dia a dia e aliviar o estresse
AT em Família

Hobbies para passar o tempo no dia a dia e aliviar o estresse

Artesanato, jardinagem, quebra-cabeça, culinária, filmes ou séries, tocar um instrumento... A variedade de atividades para passar o tempo e se divertir no dia a dia é extensa. Basta encontrar aquela que mais te agrada.

Mas mais do que uma simples ocupação para evitar o tédio, os hobbies oferecem uma série de benefícios para o bem-estar, incluindo alívio do estresse e estímulos mentais, dizem especialistas.

A psicóloga Marcelle Paganini explica que os hobbies, ou seja, atividades feitas por mero prazer, “são extremamente importantes para nossa autoconfiança e manutenção da saúde emocional no geral”.

“Pessoas que cultivam um hobby tendem a ter mais facilidade em reconhecer uma atividade prazerosa e conseguem dar mais leveza às atividades mais ‘sérias’, como trabalho e estudos, por exemplo”, diz.

Há pessoas que se engajam em um mesma atividade de lazer por toda vida, o que já trabalha a autoconfiança. Porém, estimular o cérebro com novos estímulos é bastante saudável, acrescenta Marcelle.

As opções do que fazer para passar o tempo e se distrair são diversas, como esportes, leituras, jogos ou até um ofício diferente. O importante é que a pessoa se sinta bem com o que está fazendo. A escolha do melhor passatempo vai da preferência de cada indivíduo.

A psicóloga Patrícia Dummer aconselha buscar algo que permita se desligar dos compromissos diários. Ela sugere atividades simples como tirar fotos, cozinhar, correr e caminhar ao ar livre, ler, assistir séries, sentar na praia para apreciar o mar, dançar e cantar.

“Se você ainda não descobriu algo que te faça desligar dos compromissos diários, vale a pena testar algumas das dicas citadas e descobrir qual lhe agrada mais”, recomenda.

A descoberta se baseia na experimentação, que pode começar pelo que já desperta o interesse.

“A escolha depende da preferência pessoal de cada um. Por exemplo, quem gosta de cozinhar pode buscar cursos para se aperfeiçoar. É possível encontrar na internet muitas opções de vídeos ensinando receitas práticas e fáceis”, indica Patrícia.

Jane aprendeu a fazer crochê durante a pandemia. (Foto: Kadidja Fernandes/AT)Jane aprendeu a fazer crochê durante a pandemia. (Foto: Kadidja Fernandes/AT)

Crochê

Nos últimos meses, devido à pandemia, a artista plástica e professora Jane Gripp, 57, aprendeu a fazer crochê, um desejo que tinha desde criança.

Começou fazendo almofadas, souplats e então decidiu investir em bolsas. Ela conta que aproveita momentos vagos para “crochetar”.

“Acho gostoso. Para mim, é como uma terapia. Eu trabalho como professora em duas ‘cadeiras’. Já pedi aposentadoria de uma, no turno da tarde, então já encontrei no crochê uma ocupação de lazer para fazer no tempo que terei livre”, conta.

Penha se desliga dos problemas e relaxa. (Foto: Acervo pessoal)Penha se desliga dos problemas e relaxa. (Foto: Acervo pessoal)

Viagens

Muito dedicada ao trabalho, a empresária Penha Arraz, 47, tirava pouco tempo para se desligar do seu salão de beleza e relaxar. Foi só há quatro anos, após o convite de um amigo para viajar em pleno fim de ano, que mudou a postura.

“Nos primeiros três dias em Orlando, entrei em abstinência. Depois consegui relaxar e vivi um sonho. Daí em diante não parei mais. Já fui para Nova Iorque, Israel, Cancún... Viajo também pelo Brasil”, conta. “O que mais amo na vida é viajar.”

Os passeios são os momentos em que Penha se desliga dos problemas e relaxa a mente.

Dete transformou piscina em horta. (Foto: Acervo pessoal)Dete transformou piscina em horta. (Foto: Acervo pessoal)

Jardinagem

A paixão pela jardinagem e pelo cultivo levou a aposentada Dete Marques, 70, a soterrar a piscina de casa para transformar em horta.

“Curtimos muito a piscina, mas ela já não tinha mais utilidade para nós, então enchi de terra. Tem 10 meses que não compro verduras e legumes”, diz.

Ela cultiva quiabo, repolho, alface, couve, abóbora e muito mais. Mas para isso precisa se dedicar. “É prazeroso semear, cultivar, colher e saborear. Gosto tanto que nem quero sair de casa.”

Quebra-cabeças

O passatempo se popularizou na pandemia e ainda pode ser um item decorativo. A jornalista Fabiana Tostes preparou um vídeo de como transformar o jogo em um quadro.

Saiba mais

Benefícios do passatempo

As atividades feitas por mero prazer são extremamente importantes para a autoconfiança e a manutenção da saúde emocional, pois são uma forma de se desligar dos problemas, aliviar o estresse do dia a dia e estimular o funcionamento do cérebro.

Também é modo de reservar um tempo para si e focar no seu bem-estar.

Quem cultiva um hobby consegue dar mais leveza às atividades mais sérias, como trabalho e estudos, por exemplo.

Opções de hobbies

Praticar esportes, fazer artesanato, ler, jogar, cuidar de jardim ou horta, viajar, fotografar, cozinhar, caminhar ao ar livre, assistir séries, dançar, cantar e até exercer um novo ofício, como marcenaria, construção de pequenas coisas e invenções. Enfim, a imaginação humana não tem limites!

A vivência da experiência é a melhor forma de descobrir o que te diverte e te relaxa. Se acha que não vai se sair bem fazendo algo, como pintar ou cozinhar, pode investir em cursos.

Equilíbrio

É necessário haver equilíbrio entre hobbies e outras atividades triviais para que não se torne uma atividade que toma tempo e não dá retorno para as outras áreas da vida como a financeira, a de relacionamentos amorosos e familiares, entre outras.

Fonte: Especialistas entrevistadas.

Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados