search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Gravidez precoce
Claudia Matarazzo
Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo


Gravidez precoce

A virgindade é a única arma da mulher!”. Cresci ouvindo essa frase de minha mãe. Essa era sua ideia de educação sexual. Parecida com a da ministra Damares. Nós, os filhos – três mulheres e um varão –, com dois anos exatos de diferença entre um e outro, ouvíamos aquilo com diferentes graus de interpretação e entendimento.

Um dia, adolescentes todos, estávamos a argumentar sobre alguma coisa ou alguém, e mais uma vez ela soltou a frase. Andrea perdeu a paciência e perguntou: “Mamãe, desculpe, mas arma contra quem?”

Silêncio – e pausa para pensar. Não me lembro da resposta dada, apenas das risadas das filhas mulheres, finalmente libertas daquele dogma. E mamãe, milagrosamente, começou a pensar e mudou de ideia.
Hoje, discute com minha filha de 22 anos as vantagens de casar mais tarde e com mais experiência.

Não vou entrar no mérito de outras declarações polêmicas da ministra Damares, apenas contar uma experiência de sucesso para prevenir a gravidez precoce, aqui mesmo no Brasil, que ela talvez ignore.

Escola doméstica – Há alguns anos, marcou-me profundamente uma visita à Escola Doméstica de Natal – que, apesar do nome, hoje é mista, e tem o ciclo de ensino completo.

Fundada há mais de 100 anos, naquele momento ainda era viva sua principal diretora – dona Noilde Ramalho, então com 90 e poucos anos.

Ali, meninos e meninas aprendiam, além do currículo oficial, a prática de culinária e elaboração de cardápios em uma fantástica cozinha industrial. A escola é ao pé da serra, e uma construção térrea em meio a um imenso jardim.

Perguntei o que eram as várias casinhas que pareciam casas de boneca espalhadas pela relva. Dona Noilde bateu a porta de uma delas e fomos recebidas por uma adolescente de cerca de 13 anos. Ela estava em seu período de experiência do que era cuidar de uma casa.

Ali, ela ficava “morando” por um tempo: cozinhava, arrumava e, ao fim, recebia os pais e amigos para uma refeição – tudo valendo nota, etc.

Toda equipada, a casinha era um brinco. Naturalmente. nem todas eram assim...

Mas meu espanto foi maior quando visitamos a “casa creche”, onde ficavam os filhos de funcionários da escola, e para onde eram designadas em sistema de rodízio as alunas pré-adolescentes para terem a experiência de serem “mães”.

Orientadas por profissionais, cuidavam dos bebês por períodos prolongados sem muita trégua.
Dona Noilde explicou que era para entender que uma das consequências do sexo na adolescência era que “dava trabalho.”

Perguntei se funcionava. Não apenas funcionava como, ouvi uma aluna pedindo “por favor” que a deixassem continuar por mais aquele dia, pois havia um bebê com febre – e ela queria seguir o progresso da sua melhora.

Ou seja: as alunas aprendiam responsabilidade, a socializar e também criavam vínculos.

Educação sexual é isso: transparência e vivência. Não apontar um único e utópico (para algumas ) ou indesejável caminho.

A liberdade de esperar tem o outro lado, o de não querer esperar – e ter consciência dessa escolha. E não apenas edulcorar a espera com a ilusão de um vestido de noiva.

Ouso sugerir à ministra Damares que, em vez de usar tanta verba e foco para uma campanha apenas conceitual, com duvidosa eficiência, que implante o método de dona Noilde em escolas públicas deste nosso Brasil.

Ganhariam todos: em informação, experiência e, principalmente, na percepção da realidade sem deformações ideológicas.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Corajosa Regina (sim, a Duarte)

Para não dizer que não falei de Regina, esperei a poeira baixar, o sim se concretizar e as malcriações aparecerem. Porque eram inevitáveis. Vamos combinar: figura pública, namoradinha do Brasil, há …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Quanto tempo devemos ficar em uma visita?

Boa pergunta! Veio de uma seguidora do Instagram, preocupada em não incomodar a amiga. A resposta, como tudo na vida, depende de uma série de fatores. E como visitas ao vivo estão cada vez mais …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Bom momento para ressignificar

O começo de um novo ano merece sempre uma reflexão. Lido com palavras, gosto de pensar que nossas ações/conceitos acompanhem o seu significado, na medida do possível, ao pé da letra. Mas percebo que …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Não é amor. É força mesmo!

Estão me cobrando um comentário sobre a deserção do casal Harry e Meghan da Corte inglesa – e da Inglaterra –, perpetrando seu próprio Brexit. Andei ouvindo as opiniões nesta ou naquela roda de …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Você sabe o que é fandom?

Se não sabe nem esquente porque eu também não sabia. Mas, como todo mundo que gosta de se comunicar, ao saber que era recomendado criar e usar fandoms para aumentar o alcance de meu trabalho nas …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Motivos para agradecer

Não sou eu quem diz, mas a Ciência: gratidão faz bem. Como sempre, em todo início de ano ou de novo ciclo fazemos uma espécie de balanço do que foi bom e o que foi ruim – e 2019 foi um ano especialme…


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Como dar festa ao ar livre

Se você tem um quintal, uma varanda ou uma piscina, poderá desfrutar de um pouco de ar fresco e de um amplo espaço aberto enquanto relaxa e conversa com seus convidados. Faça uma lista - Inclua …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Restrições alimentares na minha ceia, e agora?

Final de ano chegou e é um momento de reunir a família e os amigos para uma refeição grande e deliciosa, cheia calorias e amor fraterno. É claro que dá trabalho, mas no final das contas é divertido …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

No Natal, desapegue, presenteie e agrade a quem você ama

Já começou o estresse do Natal. Estresse sim! Na TV só se fala em o que fazer com o décimo terceiro, reportagens sobre os presentes que se vai comprar, etc. E quem não tem salário? Nem o primeiro nem …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Bons hábitos em extinção

Boas maneiras não crescem em árvores. E precisam ser aprendidas, de preferência na infância. Com o tempo, muita coisa se perde e hoje, com a pressa permeando todo o nosso comportamento, muitas …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados