search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Governo federal deve liberar novo saque do FGTS para 818 mil

Notícias

Publicidade | Anuncie

Economia

Governo federal deve liberar novo saque do FGTS para 818 mil


Carteira de trabalho no setor de FGTS: saque permitido tanto para valores em contas ativas quanto em inativas (Foto: Divulgação)
Carteira de trabalho no setor de FGTS: saque permitido tanto para valores em contas ativas quanto em inativas (Foto: Divulgação)

O governo federal está perto de fechar a liberação de um novo saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), mas com um valor máximo menor que o do ano passado, que foi de um salário mínimo (que, na época, era de R$ 1.045).

De acordo com uma estimativa do presidente do Instituto Fundo Devido ao Trabalhador, Mário Avelino, cerca de 818 mil pessoas poderão sacar o valor máximo de R$ 500 no Espírito Santo. No Brasil, aproximadamente 40 milhões de pessoas devem ter valores a sacar em contas ativas e inativas do FGTS.

“Em 2020, a Caixa Econômica pagou R$ 36,5 bilhões para mais de 50 milhões de trabalhadores. Como nem todo mundo sacou o dinheiro, R$ 12 bilhões voltaram para as contas do FGTS”, explicou Avelino.

O especialista esclarece que, caso o novo saque emergencial seja oficializado pelo governo, qualquer trabalhador com saldo em contas ativas ou inativas poderá sacar.

“Quem fez o saque no ano passado poderá sacar novamente, e quem não mexeu no dinheiro também. Mas algumas pessoas já zeraram as contas”, afirmou. Segundo economistas, a medida viria em boa hora, mas o dinheiro deve ser gasto com cuidado.

“A disponibilidade do saque é positiva, e não tem custo financeiro paro governo, que estaria apenas antecipando o acesso a um dinheiro que já pertence aos trabalhadores”, ressaltou o economista Eduardo Araújo.

“Mas as pessoas devem ter consciência na hora de gastar, priorizando quitar dívidas”. O economista Mário Vasconcelos reforça o alerta: “Se não precisar do dinheiro, é melhor não sacar. Está rendendo pouco, mas o rendimento de renda fixa também está baixo”, analisou.

“Para quem está trabalhando, mesmo que o salário esteja reduzido, mas está honrando os compromissos, pagando as despesas, recomendo deixar o dinheiro lá. Quem está realmente precisando, sem emprego, terá que retirar”.

Construtoras preocupadas com a medida do governo

A política de saques do FGTS e as mudanças em programas habitacionais preocupam empresários do setor imobiliário, que ainda não enxergam um cenário negativo no horizonte, mas acompanham de perto a situação.

Isso porque o FGTS é a principal fonte de financiamento imbobiliário entre as classes de mais baixa renda no País.

“É uma preocupação muito grande do setor, com tudo o que está sendo regulamentado agora, inclusive o novo programa Casa Verde e Amarela. A construção civil é o setor que mais cria empregos com o FGTS, são obras que duram de dois a três anos, e movimentam todos os outros setores”, disse o presidente do Sinduscon-ES, Paulo Baraona.

O diretor da Associação Empresas do Mercado Imobiliário do Espírito Santo (Ademi-ES), Sandro Carlesso, lembrou que o FGTS também proporciona investimento em áreas como saneamento e infraesturtura.

“A partir do momento em que vão minguando esses recursos, diminui também a possibilidade desses investimentos”, disse.
 


Para movimentar a economia


Nova liberação

  • O governo avalia liberar um total de R$ 12 bilhões em novos saques emergenciais do FGTS.
  • O novo saque deve ter limite menor do que as liberações anteriores, de até R$ 500 por trabalhador.
  • Cerca de 818 mil trabalhadores poderão ter direito ao novo saque no Espírito Santo.

Contas

  • O dinheiro poderia ser sacado das contas ativas, ou seja, de emprego atual, ou de contas inativas, de empregos anteriores, iniciando por aquelas que estão sem receber novos depósitos.

Saques anteriores

  • No início da pandemia, em 2020, o saque emergencial permitiu que 51,5 milhões de trabalhadores retirassem até R$ 1.045 do fundo, em contas ativas ou inativas.
  • Segundo a caixa, que opera o FGTS, 19,4 milhões de trabalhadores que tinham direito ao saque preferiram não movimentar a conta, e R$ 12,4 bilhões liberados voltaram às contas do FGTS no início deste ano, quando terminou o prazo.
  • Na última rodada de saque, a Caixa liberou cerca de R$ 36,5 milhões em contas virtuais para serem sacados seguindo um cronograma.

Alternativas

  • O saque do FGTS é avaliado como uma das alternativas para minimizar os impactos do fim do auxílio emergencial.
  • Outras medidas estudadas pela equipe econômica são o adiantamento do 13 salário de aposentados e do abono salarial.

Fonte: Especialistas ouvidos.


Análise

Arilda Teixeira,
economista

“Essa possibilidade que está sendo estudada não só é válida, mas necessária, especialmente para os menos favorecidos. A pandemia da Covid-19 acentuou as desigualdades sociais no Brasil, dificultando a compra do básico para a sobrevivência das famílias.

Além disso, os valores do FGTS podem frear ou minimizar a desaceleração da nossa economia. Essa, porém, não é uma solução permanente. Se o saque for liberado, é necessário, durante sua vigência, trabalhar para que essa ajuda não seja mais necessária, investindo no combate à pandemia“.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados