search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Governo do Rio de Janeiro adia volta de público nos estádios

Esportes

Publicidade | Anuncie

Esportes

Governo do Rio de Janeiro adia volta de público nos estádios


Estádio do Maracanã (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
Estádio do Maracanã (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Em edição extra do diário oficial nesta sexta-feira (18), o governador em exercício no Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), adiou momentaneamente a volta do público aos estádios de futebol no estado.

O governo terá uma reunião com o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) e com a CBF para tratar do assunto na semana que vem.

Apoiado pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), Crivella pretendia fazer um "teste" na partida entre Flamengo x Athletico, em 4 de outubro. Mas o governo do estado decretou a suspensão de eventos com público até o dia 6, incluindo jogos de futebol.

O aceno é também político, já que o prefeito vê com bons olhos o retorno das torcidas antes da eleição, onde tentará emplacar um segundo mandato no município. Entre seus interlocutores, Crivella acredita que a medida será popular, principalmente por envolver o Rubro-Negro, clube de maior torcida do país.

Além disso, o presidente Jair Bolsonaro é partidário da volta do público aos estádios, e Marcelo Crivella corteja seu apoio para o pleito marcado para 15 de novembro.

A nova rodada de conversas entre as autoridades incluirá também o Ministério da Saúde, a Secretaria Municipal de Saúde e da Vigilância Sanitária, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, bem como empresas que administram as malhas ferroviárias e as linhas de ônibus da cidade, responsáveis por toda a logística de cada partida.

Depois disso, a CBF e os clubes da Série A precisarão aprovar um protocolo para a volta, que será conjunta, já que ao menos nove das 20 associações da primeira divisão do futebol brasileiro são contrárias ao retorno em uma só praça. O Corinthians, inclusive, afirmou que não entrará em campo caso qualquer time volte a ter público em seu estádio antes dos demais.

A entidade máxima do futebol brasileiro sempre trabalhou com a previsão de retorno em novembro, o que segue considerando mais plausível em função do tempo para aprovação dos protocolos e alinhamento de objetivos com todos os interessados.

Uma reunião urgente foi marcada com os clubes também para a próxima semana. Não só o Corinthians, mas Palmeiras, Grêmio, Internacional, Fluminense, Botafogo, Atlético-MG, Bahia e Ceará também são contrários ao retorno do público antecipado para apenas um clube. No mesmo dia 4, a cidade do Rio também terá clássico entre Flu x Bota, dois clubes opositores à Ferj e que alegam não ter sido convidados para a reunião feita para o retorno do futebol.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados