search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Gigi Furacão direto de Iúna

Entretenimento

Televisão

Gigi Furacão direto de Iúna


O primeiro dia de confinamento do “BBB 20” fará jus à história do programa que marcou gerações durante 19 edições. Nada mais marcante numa estreia do que um muro dividindo a casa para instaurar o ar de mistério, estreitar relações e acirrar a competição entre os recém-chegados da vigésima edição.

Gizelly (Foto: TV Globo/Divulgação)
Gizelly (Foto: TV Globo/Divulgação)
Os grupos já são conhecidos do público: Pipoca e Camarote. De um lado, pessoas anônimas. Do outro, personalidades das mais diversas áreas.

Assim será a estreia, hoje, quando cada um dos grupos entrar em sua nova moradia para viver o desafio em busca de R$ 1,5 milhão.

Manu (Foto: TV Globo/Divulgação)
Manu (Foto: TV Globo/Divulgação)
Depois que os componentes de cada lado do muro estiverem acomodados em suas respectivas partes da casa, o encontro entre os grupos vai acontecer só por voz.

E entre os 18 confinados está uma capixaba que promete arrasar. Nascida em Iúna, a advogada criminalista Gizelly, 28 anos, define a sua vida amorosa como “um desastre”.

Tanto que, antes de entrar no “BBB”, foi em uma cartomante para saber quando iria “desencalhar”. “Ela disse que seria logo. Vai que seja no ‘BBB’”, brinca. Ela revela já ter sofrido com um relacionamento abusivo.

Gizelly tem 20 mil seguidores nas redes sociais e se dedica para ficar atualizada com o objetivo de ser reconhecida como a melhor profissional de sua área.

Tem como apelido Gigi Furacão e se considera pavio curto. Odeia pessoas arrogantes. Adora um holofote e não tem papas na língua. Ela diz que entra no reality para jogar, beijar na boca e dançar.

“Tem pessoas que vão me amar e as que vão me odiar. Ser autêntica às vezes choca”, afirma ela, que conta sofrer preconceito por ser advogada, mulher e bonita. Ela tem dificuldade em ser contratada.

 (Foto: TV Globo/Divulgação)
(Foto: TV Globo/Divulgação)


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados