search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

“Focar no bom é uma maneira melhor de se viver”, diz atriz Karen Junqueira

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Entretenimento

“Focar no bom é uma maneira melhor de se viver”, diz atriz Karen Junqueira


Ter otimismo e fé em tempos difíceis nem sempre é fácil. No entanto, para a atriz Karen Junqueira, é vital concentrar as energias naquilo que é positivo.

“Focar no bom é uma maneira melhor de se viver”, propõe a atriz de 37 anos. Para isso, ela segue algumas lições: “Procuro não ficar vendo notícias ruins para não endurecer o coração”.

Karen: "O mundo está pesado, mas  há coisas bonitas que acontecem”. (Foto: Sérgio Bochart/Divulgação)
Karen: "O mundo está pesado, mas há coisas bonitas que acontecem”. (Foto: Sérgio Bochart/Divulgação)
“O mundo realmente está pesado, mas há coisas bonitas que acontecem paralelamente”, diz Karen, que está na reprise da novela “Haja Coração” e relembra maldades da vilã Jéssica contra Shirlei (Sabrina Petraglia).

“A Jéssica foi um papel muito importante na minha carreira. Tem sido um presente rever tudo”, conta ela ao AT2. O motivo? A esperança de que o debate sobre o preconceito contra portadores de deficiência volte a ser discutido.

“Cada vez que falamos mais e mostramos a importância do respeito sobre questões como essa é um caminho para evolução”, diz a mineira de Caxambu, de onde se mudou aos 17 anos para o Rio.

Mas essas não são as únicas bandeiras que Karen levanta. Hoje, por exemplo, ela lança a campanha #CuideDaInfancia. A iniciativa busca conscientizar contra o abuso infantil, violência que ela foi vítima na adolescência e que revelou ao mundo em carta publicada no ano passado na revista Claudia.

“Demorei 10 anos para contar à minha mãe o que ocorreu, e só consegui fazer isso depois que meu pai faleceu. É esse ciclo do silêncio que precisa ser quebrado. Foi pensando nisso que contei minha história e criei a campanha para que os pais estejam atentos e para que possamos cuidar melhor da infância das crianças”, destaca a atriz.


“Meu relato foi para alertar os pais”


AT2 Está na reprise de “Haja Coração”, como a vilã Jéssica, e já viveu uma menina inteligente em “Malhação”. Que papel faz seus olhos brilharem?

Karen Junqueira Meus olhos brilham em interpretar. Tenho muito amor e me dedico a qualquer personagem, quanto mais distante, mais preciso de pesquisas e dedicação. Particularmente, é um trabalho que amo fazer: as referências, filmes e atores que me inspiram numa composição!

Vivemos em uma época de julgamentos, cancelamentos e silenciamento de vozes discordantes. Há uma receita para sair desse atoleiro?

Eu não consigo dizer se há uma receita, mas acredito no caminho de empatia e respeito. É necessário entender a vivência e experiências de vida do outro antes de cancelar alguém ou promover qualquer tipo de exclusão.

Há poucos meses, você tornou pública a história da violência sexual que sofreu na adolescência. Que caminho percorreu até decidir falar sobre isso?

Fiz muitos anos de terapia e isso foi essencial para que eu tomasse a decisão de me expor. Minha terapeuta me ajudou e apoiou demais. Então, senti que devia ajudar outras crianças, para que não passem pelo que passei. O intuito do meu relato foi unicamente para alertar os pais a abrirem diálogo com as crianças para prevenir abusos.

Desde a publicação da carta, eu recebi e continuo recebendo muitas mensagens, muitas histórias e muito apoio. Com todo esse retorno, resolvi criar esse projeto tão especial que é a campanha “#CuideDaInfancia”, que visa a conscientização da importância do cuidado e amparo à criança.

Acredita que a sua vida seria diferente caso não tivesse vivenciado tudo?

Eu não penso nisso. Penso que o que já foi não voltará, tento viver o presente e agradecer o que sou hoje. Também aprendi a não pensar no futuro excessivamente.

Acha que algum dia vai perdoar essa pessoa que te fez mal?

Está perdoado, e acredito na justiça divina. Todos nós vamos pagar por algo de errado, este karma não é meu. Passo a bola. Meu coração está em paz.

Falar sobre sexualidade ainda é tabu em nosso País. Esse diálogo não acontece por medo, preconceito ou é algo cultural?

Acredito que seja um pouco de tudo isso. É cultural, principalmente. E temos que mudar esse caminho, porque o conhecimento é fundamental para que os números sejam estancados. Não falar sobre o assunto gera um desconhecimento que impede, muitas vezes, de crianças falarem quando passam por situações de abuso, sejam elas quais forem.

Vai lançar um vídeo sobre o tema. Como será?

O vídeo terá dados sobre o tema e uma mensagem criada com muita atenção e com a ajuda de uma especialista no assunto, falando sobre a importância desse cuidado e da educação sexual, para ficarmos atentas aos sinais de abuso.

Também irá enviar camisetas para amigos famosos como forma de gerar engajamento?

Sim, a camiseta terá o logo “Cuide da Infância” e as mensagens de “#Proteja #Ensine #Ampare”. “Denuncie abuso sexual, disque 100”. As camisetas já foram enviadas a artistas como Flávia Alessandra, Otaviano Costa, Giselle Itié, Julia Konrad, Bella Falconi, Mateus Solano, Ana Paula Araújo, Paloma Bernardi, entre outros.

E quais são os seus próximos planos para este ano?

Tenho projetos para este ano na TV, infelizmente não posso falar muito, mas estou bem feliz e animada. E também o projeto de conscientização contra o abuso infantil. Torço para que a gente consiga atingir nosso objetivo.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados