search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Federal faz operação contra fraude na compra de merenda escolar em Cachoeiro

Notícias

Publicidade | Anuncie

Política

Federal faz operação contra fraude na compra de merenda escolar em Cachoeiro


Policiais federais realizaram na manhã desta quarta-feira (16) em Cachoeiro de Itapemirim uma operação para apurar suposto desvio de recursos públicos na aquisição de merenda escolar.

Os alvos da operação foram a Secretaria Municipal de Educação e residências de funcionários públicos municipais e empresários. Nestes locais, foram apreendidos documentos e mídias eletrônicas, que serão analisados.

Os policiais cumpriram quatro mandados de busca expedidos pela Justiça Federal. As apreensões desta quarta-feira são uma continuidade da Operação Snack Zero, que está em sua segunda fase. A Polícia Federal não divulgou detalhes sobre a operação e se há outros alvos no Estado.

Na primeira fase da operação, ocorrida em fevereiro do ano passado, a polícia identificou indícios de superfaturamento e até compra de alimentos vencidos em colégios de oito municípios.

Os municípios alvos da operação na época eram: Marataízes, Fundão, Jaguaré, Vargem Alta, Muqui, Castelo, Rio Novo do Sul e Piúma. Nove empresas e quatro empresários também foram investigados.

Segundo a Polícia Federal, as empresas envolvidas no esquema de 2019 estariam combinando entre si os preços das mercadorias para superfaturar os produtos a serem repassados para as prefeituras.

Cachoeiro de Itapemirim: operação contra fraude em merenda escolar (Foto: Alessandro de Paula)
Cachoeiro de Itapemirim: operação contra fraude em merenda escolar (Foto: Alessandro de Paula)
O OUTRO LADO

Com relação à operação desta quarta-feira, a Prefeitura de Cachoeiro informou que ainda não teve acesso ao processo. Por meio de nota, ressaltou que a Procuradoria Geral do Município (PGM) vai averiguar o que se trata para definir as providências que serão adotadas.

Na nota, a prefeitura afirmou ainda que está à disposição dos órgãos de controle para quaisquer esclarecimentos.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados