search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Falta de remédios em farmácia
Qual a Bronca?

Falta de remédios em farmácia

“A farmácia da Unidade Básica de Saúde do bairro André Carloni, na Serra, está há dois meses sem medicamentos para tratamento da diabetes e da pressão alta”, reclama a dona de casa Neide Maria Santana Miranda.

Unidade Básica de Saúde em André Carloni, na Serra (Foto: Kadidja Fernandes/AT)Unidade Básica de Saúde em André Carloni, na Serra (Foto: Kadidja Fernandes/AT)

“Fui atendida por um médico da unidade que me receitou Gliclazida, Atenolol, Omeprazol e Cálcio e nenhum deles está disponível”, relata.

Neide disse que todas as vezes que foi ao local recebeu a informação de que os medicamentos estavam em falta. De acordo com a moradora, a administração teria prometido enviar ao bairro um pediatra e um ginecologista, mas isso não aconteceu.

“Quem colhe o preventivo da mulherada é uma enfermeira”, revelou.

A Secretaria de Saúde da Serra informa que os medicamentos Gliclazida, Atenolol, Carbonato de Cálcio e Omeprazol são medicamentos que se encontram com problema em sua produção e isso tem provocado falta momentânea, contudo todos já se encontram comprados pela Secretaria de Saúde.

A Gliclazida tem sido entregue parcialmente pelo fornecedor. Com a última entrega, todos os serviços serão abastecidos. Já o Carbonato de Cálcio chegou e está disponível nas Unidades de Saúde . O Atenolol encontra-se comprado pela Secretaria de Saúde, aguardando a entrega do fornecedor e, assim que chegar, todos os serviços serão abastecidos.

“O Omeprazol pode ter sido uma falta momentânea na Unidade de Saúde de André Carloni. Nova compra já foi feita e aguardamos entrega do fornecedor”, afirma a Prefeitura.

“Estamos pressionando os fornecedores para que agilizem o quanto antes a entrega dos medicamentos comprados para regularização do abastecimento da rede de serviços”.