search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Fadiga pode ser preguiça ou doença
Doutor João Responde

Fadiga pode ser preguiça ou doença

Minha paciente esteve recentemente em outro médico, queixando-se de vários sintomas, tais como, calafrios, irritabilidade, fraqueza, tontura, dor de cabeça e, principalmente, cansaço que persiste o dia inteiro.

Vários exames complementares foram realizados e todos eles se mostraram normais. “Depois de afastar várias hipóteses diagnósticas, ele me garantiu que não se tratava de preguiça, mas de um quadro denominado hipoglicemia reativa”, disse a paciente.

Hipoglicemia significa pouco açúcar no sangue. A primeira vista, essa alteração metabólica pode ser resultado de uma futura diabetes mellitus, doença causada pela perda da capacidade do pâncreas de fabricar insulina, essa substância que transforma glicose em energia.

Como a curva glicêmica se mostrou normal, é bem provável que não se trate de um defeito no pâncreas, mas uma alteração na quantidade de insulina que é jogada no sangue. Explicando melhor, na hipoglicemia metabólica, o pâncreas começa entrar em falência e acaba por gerar um diabetes, que vem a ser a diminuição da produção de insulina.

Embora pareça contraditório, no começo do diabetes, a insulina estará aumentada, levando a uma hipoglicemia. Posteriormente, a glândula perde a capacidade de produzir insulina e o açúcar aumentará, gerando hiperglicemia.

Tendo em vista que a curva glicêmica não mostrou alteração no pâncreas, o diagnóstico aponta para um quadro de hipoglicemia reativa.

“O que seria hipoglicemia reativa?”, perguntou a paciente. Conforme a palavra indica, “reativa” está revelando que a baixa de glicose é proveniente de alguma reação no organismo.

Existe uma glândula localizada sobre os rins, denominada suprarrenal. Ela fabrica uma substância chamada adrenalina, cuja função lembra emoção. Todas as vezes que nos encontramos diante de alguma ameaça – um assalto ou um ataque de animal feroz, por exemplo –, essa glândula libera adrenalina na corrente sanguínea, chegando imediatamente ao pâncreas, onde irá estimular a produção de insulina.

Essa irá rapidamente queimar todo o açúcar disponível, gerando energia, cuja finalidade é proporcionar ao indivíduo o recurso de lutar ou fugir da situação vigente. Essa atitude chama-se instinto e sempre ocorrerá na presença do medo.

Atualmente, o medo vem gradativamente sendo substituído pela ansiedade, esse medo de ter medo. Ao contrário dele, que se manifesta de maneira aguda, a ansiedade é um sentimento subjetivo e persistente.

Indivíduos ansiosos gotejam adrenalina no sangue durante o dia inteiro, gerando insulina, queimando glicose e produzindo energia, tudo isso de maneira contínua.

Como já se pode adivinhar, esse gasto de energia irá produzir cansaço diário, que lembra um carro ligado em ponto morto, queimando desnecessariamente todo o combustível, sem ir a lugar nenhum.
Baseado nisso, podemos concluir que esse cansaço da senhora não é preguiça. Na verdade o desânimo está ocultando uma indesejável e crônica ansiedade.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

O asfixiante coronavírus

Flutuando no ar, esse invisível inimigo se espalha por meio de gotículas transmitidas ao ar pela respiração, principalmente quando ocorrem espirros e tosse. Estando presentes ao redor, indivíduos …


Exclusivo
Doutor João Responde

Higienização com álcool em gel

Qual a diferença entre desinfetante, antisséptico e esterilizante? Desinfetar é destruir aquilo que causa infecção. Antissepsia é limpar algo contaminado. Esterilizar se refere a um processo de …


Exclusivo
Doutor João Responde

Em busca da vacina milagrosa

Vivendo entre o sonho e a realidade, ninguém é imune à sentença do tempo. A ansiedade é inimiga mortal da nossa paz. A paz é amiga vital da nossa saúde. Estamos atravessando um período dramático…


Exclusivo
Doutor João Responde

Complicações contra a Covid-19

Indagados por não estarem usando máscaras, muitas pessoas afirmam que são resistentes à Covid-19. Esta declaração categórica é bastante perigosa, uma vez que, diante da pandemia, ninguém pode dispor …


Exclusivo
Doutor João Responde

Baço, um órgão pouco lembrado

A designação desse órgão abdominal originou-se pelo fato dele ser embaçado, não se deixando ser atravessado pela luz. O baço sempre constituiu um desafio à curiosidade dos investigadores que …


Exclusivo
Doutor João Responde

Nossa memória imunológica

Quase ninguém se recorda da última vez em que ficou doente por conta de uma infecção microbiana, mas o sistema imune lembra bem desse momento da vida, assim como de vários outros anteriores. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Esses malditos vírus

Nada garante a saúde permanente do ser humano. Por mais que a vida seja protegida, nada assegura a manutenção da tranquilidade do amanhã. Por esse motivo, a ciência toma conclusões como verdades …


Exclusivo
Doutor João Responde

Maconha não é droga inofensiva

Quando aquele jovem apareceu no consultório, eu já sabia boa parte da história que ele iria me contar. Preocupada, sua mãe havia ligado antes, me passando algumas informações a seu respeito. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Minha vesícula encheu de pedras

Semanas após ter sido encaminhada para extrair a vesícula biliar, a paciente retornou ao meu consultório. Satisfeita, ela afirmou: “Minha cirurgia foi um sucesso, doutor”. Nada lembrava a …


Exclusivo
Doutor João Responde

Estou magro, mas sou gordo

Doze meses após se consultar comigo, o paciente reapareceu. Lembro-me quando ele chegou pela primeira vez. Lá estava, diante de mim, um adiposo jovem, carregando lipídios, complexos e desânimo. …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados