X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Vasco obtém liminar na Justiça e retoma controle da SAF após suspensão de contrato

Clube carioca disse temer que eventuais dívidas da empresa americana gerem prejuízos e possíveis perdas patrimoniais para o time brasileiro


Imagem ilustrativa da imagem Vasco obtém liminar na Justiça e retoma controle da SAF após suspensão de contrato
Justiça concedeu liminar para retirar controle do futebol da 777 e devolver para presidência do Vasco |  Foto: Leandro Amorim/Vasco

O Vasco obteve uma vitória na Justiça contra a 777 Partners, dona da SAF do clube carioca. O juiz Paulo Assed Estefan, da 4ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, aceitou pedido do Vasco e emitiu uma liminar suspendendo o contrato de venda da SAF.

"Por todo o exposto, DEFIRO a cautelar requerida e SUSPENDO os efeitos do CONTRATO DE INVESTIMENTOS e do ACORDO DE ACIONISTAS, que concedem o atual controle da VASCO DA GAMA SOCIEDADE ANÔNIMA DO FUTEBOL à. Com isso, estão suspensos, também, os direitos societários (políticos e patrimoniais) da 777 CARIOCA LLC e devolvido o controle da companhia ao CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA, afastando-se os conselheiros indicados pela 777 CARIOCA LLC do Conselho de Administração da SAF", escreveu o juiz, na liminar, emitida na quarta-feira.

Nesta quinta-feira, o clube explicou o que motivou o pedido de liminar. E revelou preocupação com a capacidade financeira da 777 Partners. O clube carioca disse temer que eventuais dívidas da empresa americana gerem prejuízos e possíveis perdas patrimoniais para o time brasileiro.

"A ação foi necessária e motivada por preocupações sobre a capacidade financeira da sócia majoritária, a empresa 777, em cumprir com suas obrigações contratuais. Essas preocupações foram intensificadas por relatos na mídia internacional, que questionaram a solvência da 777, levantando o risco de penhora ou uso das ações da VascoSAF como garantia em potenciais cenários de falência ou insolvência da 777", disse o clube, em comunicado.

O Vasco destacou que a liminar não derrubou totalmente o contrato entre a empresa e a SAF do clube. "A decisão judicial suspendeu apenas os efeitos do Contrato de Investimentos e do Acordo de Acionistas relativos à transferência de controle da SAF para a 777. Essa decisão somente restringiu os direitos societários da 777. Não houve qualquer alteração em relação às suas obrigações contratuais. Todas as obrigações da 777 estão mantidas. Apenas se devolveu o controle da empresa ao Vasco, o seu sócio fundador, e afastou os conselheiros nomeados pela 777."

O clube também fez questão de ressaltar que o Vasco não voltará a ser administrada no formato associativo, como acontecia antes da era SAF. "O Vasco segue firme no propósito de garantir o funcionamento eficaz da VascoSAF, evitando as incertezas jurídicas causadas pela crise financeira da 777, que ameaça e expõe a grave risco a estabilidade da operação."

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: