X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

United se vinga, quebra invencibilidade do City e conquista a Copa da Inglaterra


O Manchester United venceu o Manchester City por 2 a 1 neste sábado na final da Copa da Inglaterra, quebrou uma longa invencibilidade do arquirrival e conseguiu dar um pouco de brilho em uma temporada opaca. Com gols de Garnacho e Mainoo no primeiro tempo do jogo disputado em Wembley, o United conquistou a competição de clube mais antiga do mundo pela 13ª vez e está a apenas um troféu do Arsenal, o maior vencedor com 14 conquistas. Doku, que entrou após o intervalo, marcou para o City no final da partida.

Há menos de um ano, o City venceu o United por 2 a 1 na final da Copa da Inglaterra para conquistar a segunda da tão cobiçada tríplice coroa, que viria uma semana depois com o triunfo na Liga do Campeões. No mesmo Wembley, o time vermelho de Manchester devolveu o placar e impôs a primeira derrota do adversário depois de 35 jogos no primeiro revés em 2024.

O título deste sábado deu ao United uma razão para celebrar na temporada, que terminou com a oitava colocação no Campeonato Inglês (o pior resultado do clube desde a temporada 1989/1990), a queda na fase de grupos da Liga dos Campeões e a eliminação nas oitavas de final da Copa da Liga Inglesa. A permanência do técnico holandês Erik ten Hag ainda é uma incógnita.

Apesar de não ter conseguido repetir a tríplice coroa da temporada passada já com a queda nas quartas de final da Liga dos Campeões diante do Real Madrid, o City vinha embalado por um feito inédito: a conquista pela quarta vez consecutiva do Campeonato Inglês. Nos dois jogos da temporada contra os rivais, o City conseguiu duas vitórias marcando seis gols e sofrendo apenas um.

No jogo deste sábado, a estratégia de Ten Hag para mudar este retrospecto funcionou perfeitamente no primeiro e pela primeira vez na história dois jogadores com menos de 20 anos marcaram na final da competição. Garnacho e Mainoo têm 19 anos.

No segundo tempo, o City foi dominante e criou várias chances. O United resistiu até os 42 minutos do segundo tempo, quando Doku arriscou de longe e venceu o goleiro Onana. O árbitro apontou 7 minutos de acréscimo. Foram 7 minutos para o City tentar buscar o empate, forçar a prorrogação e manter viva a esperança de mais um título. Não aconteceu.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: