X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Suíça supera a Itália, quebra tabu e já iguala a sua melhor campanha na Eurocopa

A última vez havia sido em 1993, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Na ocasião, levou por 1 a 0


Imagem ilustrativa da imagem Suíça supera a Itália, quebra tabu e já iguala a sua melhor campanha na Eurocopa
Desde então, as seleções se enfrentaram em 11 oportunidades, com cinco vitórias da Itália e seis empates |  Foto: @swissnatimen | Reprodução Instagram

A Suíça é a primeira seleção classificada às quartas de final da Eurocopa, igualando a sua melhor marca no torneio. Neste sábado, derrotou a Itália por 2 a 0, no estádio Olímpico de Berlim, e quebrou um tabu de 31 anos sem vencer o rival. A última vez havia sido em 1993, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Na ocasião, levou por 1 a 0.

Desde então, as seleções se enfrentaram em 11 oportunidades, com cinco vitórias da Itália e seis empates. O triunfo também motiva a Suíça a quebrar outro tabu. A seleção nunca chegou às semifinais da Eurocopa. Mas, para isso, terá que superar o vencedor de Inglaterra e Eslováquia, que se enfrentam neste domingo, em Gelsenkirchen. Em 2020, caiu para a Espanha nas quartas de final.

Já a Itália ficou longe de repetir as boas exibições que lhe garantiram o título da última edição do torneio. Nem os bons fluídos do estádio Olímpico de Berlim, onde foi campeã mundial em 2006, foram suficientes para que pudesse, ao menos, ameaçar a Suíça. Um dos destaques daquele ano, o ex-zagueiro Marco Materazzi foi visto na arquibancada totalmente desiludido. A equipe italiana se despede com apenas uma vitória, na estreia, sobre a Albânia por 2 a 1.

Invicta no ano, a seleção da Suíça mostrou toda sua solidez defensiva no primeiro tempo e dominou a Itália, que em vários momentos pareceu entrar na 'roda'. Diferente do que era esperado, os suíços não ficaram apenas na defesa, criaram várias oportunidades e só não foram com um placar elástico para o intervalo, pois o goleiro Donarumma apareceu como um dos principais destaques dos primeiros 45 minutos.

A primeira grande defesa do goleiro foi aos 23, quando viu Embolo invadir a área sozinho. O camisa 7 bateu chapado e viu Donnarumma fazer um milagre. A superioridade da Suíça, que já era evidente, foi ainda maior na parte final, tanto que os jogadores resolveram arriscar de qualquer lugar. De longe, Ricardo Rodríguez mandou perto do gol.

A Itália conseguiu segurar o rival até os 36, quando Ndoye apareceu pelo meio e acionou Vargas na esquerda. Ele mandou para o miolo da área e achou Freuler, que dominou com a direita e acertou um bonito chute de esquerda para tirar o zero do placar. O segundo da Suíça só não saiu aos 45, pois a falta de Rieder foi defendida por Donnarumma e carimbou a trave.

No segundo tempo, o técnico Luciano Spalletti tentou dar um novo ânimo à seleção italiana ao colocar Zaccagni em campo. Mas nem deu tempo para se adaptar à mudança. Assim que a bola rolou, a Suíça se aproveitou de um erro de passe do adversário na saída de bola para trocar passes até chegar em Vargas. De fora da área, ele chutou com capricho e mandou no ângulo para fazer 2 a 0.

A Itália tentou dar uma resposta rápida para voltar ao jogo em um cruzamento de Fagioli. Schär tentou cortar e quase fez contra - a bola acertou a trave. O lance desmotivou ainda mais os italianos, que novamente foram envolvidos pela Suíça, que foi se acomodando com o passar do tempo.

Com o apoio dos torcedores presentes no Olímpico de Berlim, a Itália "acordou" na reta final e chegou a mandar mais uma bola na trave. Aos 28, em nova bola levantada para dentro da área, Zaccagni desviou e Scamacca mandou no poste. A Suíça, no entanto, parecia ameaçar quando queria. Aos 37, Xhaka deu um belo passe para Zuber, que chutou cruzado, com muito perigo.

Em vantagem, a Suíça recuou e passou a chamar a Itália para o seu campo de defesa, deixando ainda menos espaço para o adversário criar. Com pouca criatividade, a seleção italiana não conseguiu impedir a derrota e acabou caindo nas oitavas de final da Eurocopa.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: