X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Gabriel Brazão faz belas defesas, Santos empata com Mirassol e continua fora do G-4 da Série B


O Santos continua jogando mal longe da Vila Belmiro e fracassou em nova missão de voltar ao G-4 da Série B ao ficar no empate com o Mirassol, por 0 a 0, fora de casa. E não fosse o goleiro Gabriel Brazão, responsável por três grandes defesas, a situação santista poderia ter sido pior.

Uma vitória faria o Santos subir para a terceira posição, ultrapassando Operário-PR e Vila Nova-GO. Mas a apresentação novamente foi ruim. Agora, a equipe volta as atenções para embate com a instável Chapecoense, segunda-feira, na Vila Belmiro.

Para este jogo, Fábio Carille não poderá contar com o lateral-esquerdo Escobar, suspenso por acúmulo de cartões e terá de ver a gravidade do problema na coxa esquerda de Guilherme, substituído no intervalo em Mirassol.

Pelo segundo jogo seguido, Carille conseguiu mandar a campo aquele que considera seu Santos ideal no momento, com Pedrinho e Guilherme aberto pelas beiradas e Furch como centroavante. Diante do Goiás (2 a 0) deu certo apenas no fim, com os gols saindo após os 35 minutos. Ocorre que os atacantes estavam retornando de lesão e ainda carentes de um melhor ritmo de jogo.

Após uma semana de treinos intensos, Carille confiava ter a equipe mais encorpada para ganhar o confronto direto por vaga no G-4. O empate não servia a ninguém, o que prometia embate aberto. O técnico santista não escondia, entretanto, que era necessária certa cautela diante de um mandante empolgado e que daria trabalho.

Por causa da terceira camisa do Mirassol, toda preta, o jogo atrasou alguns minutos pelo fato do uniforme azul-marinho do goleiro Gabriel Brazão, do Santos. A arbitragem falhou ao não comunicar os santistas antes de a bola rolar. Ele trocou por uma cinza clara.

A bola rolou e o Mirassol logo adotou postura para ser o protagonista da noite ao subir linhas e tentar jogar no campo ofensivo. Fernandinho assustou de cara. A resposta veio com cabeçada de Guilherme nas mãos de Alex Muralha.

O atacante deu um susto aos 25 minutos, após acusar dores na coxa direita - ficou um tempo fora da equipe por problema na perna esquerda. Saiu de campo de maca, mas retornou, com Otero já aquecendo para entrar no que mudaria o esquema tática.

O Mirassol voltou a crescer na etapa e Gabriel Brazão salvou o Santos com três defesas gigantes. O goleiro voou em cobrança de falta de Danielzinho que ia no ângulo e depois espalmou a batida no cantinho de Isaque. Antes do intervalo, salvou na batida colocada de Dellatorre.

Insatisfeito com a apresentação dos 45 minutos iniciais, Carille mudou em dose tripla no intervalo. Guilherme deu lugar a Otero para não agravar o problema muscular, já Rodrigo Ferreira e Patrick entraram pela direita em tentativa de frear a boa apresentação de Fernandinho pelo setor.

Até então pouco produtivo na frente, o Santos deu o primeiro susto em bomba de Diego Pituca e boa defesa de Muralha. Depois de ser envolvido, o Santos resolveu rechear o meio e isolou Furch no ataque. A ideia de Carille era ter mais a bola nos pés e quase seu centroavante abriu o marcador. A cabeçada parou na trave.

Fernandinho continuou aprontando pela esquerda, mas o Santos já não permitia finalizações perigosas. O Mirassol começou a investir nos cruzamentos, e Gabriel Brazão também se destacou cortando o que vinha pelo alto, garantindo, ao menos, um ponto em nova apresentação de pouco futebol da equipe praiana.

FICHA TÉCNICA

MIRASSOL 0 x 0 SANTOS

MIRASSOL - Alex Muralha; Lucas Ramon, João Victor (Lucas Gazal), Luiz Otávio e Warley; Danielzinho, Gabriel e Isaque (Quirino); Negueba (Chico Kim), Fernandinho (Alex Silva) e Dellatorre. Técnico: Mozart.

SANTOS - Gabriel Brazão; JP Chermont (Rodrigo Ferreira), Joaquim, Gil e Escobar (Hayner); João Schmidt, Diego Pituca e Giuliano; Pedrinho (Patrick), Furch (Willian Bigode) e Guilherme (Otero). Técnico: Fábio Carille.

CARTÕES AMARELOS - Escobar, Giuliano e Willian Bigode (Santos) e Alex Silva (Mirassol).

ÁRBITRO - Paulo César Zanovelli da Silva (MG).

RENDA - R$ 414.400,00.

PÚBLICO - 7.432 presentes.

LOCAL - Estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol (SP).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: