X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Gabigol diz amar ser xingado e ignora fama de marrento

O camisa 9 rubro-negro disse ter personalidade forte e, por isso, o consideram arrogante

Agência Folhapress | 05/08/2022 12:08 h

Gabigol
Gabigol |  Foto: Reprodução Sportv
 

Em entrevista ao canal 'Fui Clear???', Gabigol falou sobre os anos de Flamengo, a relação com o técnico Jorge Jesus, em 2019, e também sobre ter fama de marrento.

O camisa 9 rubro-negro disse ter personalidade forte e, por isso, o consideram arrogante. Em seguida, ele afirmou que os xingamentos servem como combustível e que não dá moral a quem fala 'b...'.

"Eu acho que eu tenho uma personalidade forte. Eu falo o que penso, e, às vezes, eu também não falar é como se eu falasse. Falam um monte de m..., um monte de b..., e eu não vou dar moral para m.... Então fala aí, eu vou estar em casa jogando videogame, trabalhando e depois faço meus gols no Maracanã", começou.

"Eu sou esse tipo de cara. Mas tem coisa que me motiva também. Eu fui na Vila [Belmiro, enfrentar o Santos], começaram a me xingar do nada. Tem gente que fica triste, acanhado, e eu amo isso. Que me xingue muito, que a imprensa me xingue muito mais, mas eu sinto informar que não vou responder. Não vou ficar respondendo m.... As pessoas levam a minha personalidade para um jeito que é marrento porque eu não dou moral para eles. Eu vou dar moral para quem é meu amigo, quem está na minha casa", acrescentou o atacante.

FRUSTRAÇÃO NA EUROPA

Em outro momento do bate-papo, Gabigol foi perguntado sobre o período em que foi para a Europa e não conseguiu se firmar em campo, seja na Inter de Milão ou no Benfica. Ele disse que diversos fatores o atrapalharam no Velho Continente, mas que não se arrepende das escolhas.

"Acho que foi um momento que se eu não fosse [para a Europa], ia me arrepender. Optei pela Inter de Milão porque era um clube que estava começando a se reestruturar. O time não estava encaixado, eu ainda jogava aberto pela direita, eu também era muito novo. Tinha vindo do Santos, onde me sentia muito à vontade", explicou, antes de completar.

"Eu também poderia ter ficado na Inter, mas escolhi ir para o Benfica para tentar jogar. Quando vi que tinha Jonas, que eles davam muito mais espaço para quem é da base, quis voltar para não ficar parado, simples. Aí vim para o Santos", concluiu.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS