X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Fla abre a luta dos brasileiros na Libertadores

Rubro-negro é o primeiro a entrar em campo na fase de grupos e aposta na experiência de Tite para vencer o Millonarios, em Bogotá



Imagem ilustrativa da imagem Fla abre a luta dos brasileiros na Libertadores
Tite está invicto no comando do Flamengo em 2024. São dez vitórias e dois empates em 12 partidas - e sem ter sofrido nenhum gol |  Foto: Reprodução / X (Twitter)

A última década do futebol sul-americano consolidou uma virada de forças. Até poucos anos equilibrada entre brasileiros, argentinos e outras forças do continente, a Libertadores virou cenário de domínio do futebol brasileiro, campeão das últimas cinco edições, três delas só com clubes do país na final.

O país já se aproxima, inclusive, da Argentina em número de títulos (25 a 23). A competição inicia nesta terça-feira (02) à noite a fase de grupos de sua 65ª edição com o Flamengo abrindo o caminho para os times brasileiros na disputa, às 19 horas, contra o Millonarios.

Leia mais sobre Esportes

E a força coletiva que o Fla apresenta neste início de temporada faz do técnico Tite uma das maiores estrelas do time que, invicto em 2024, estreia em Bogotá.

Aos 62 anos, o comandante rubro-negro já passou por quase todo tipo de experiência na principal competição do calendário sul-americano - seja o céu, com o título invicto do Corinthians em 2012, ou o inferno, com a eliminação do Timão para o Tolima-COL, em 2011, quando tinha no elenco nomes como Roberto Carlos e Ronaldo.

Na edição desse ano Tite terá uma experiência inédita: de iniciar a disputa no comando de uma equipe que é uma das grandes favoritas e convive com a pressão pelo título.

Com o Flamengo invicto sob seu comando em 2024 - são dez vitórias e dois empates em 12 partidas - e sem ter sofrido nenhum gol, Tite terá que saber enfrentar não só os rivais do rubro-negro dentro de campo e a pressão pela conquista da taça, mas também a fama de ser um treinador que não repete nos mata-matas o sucesso que alcança nos campeonatos de pontos corridos. Em 2011 e 2015, por exemplo, ele conquistou o Brasileirão pelo Corinthians, mas caiu precocemente na Libertadores.

“Eu aprendi na vida que, sempre, o próximo passo é o mais importante”, explicou Tite após a vitória contra o Nova Iguaçu.

Retrospecto

O treinador tem um retrospecto positivo na Libertadores. Ao todo, são 65 partidas como técnico na competição, com 35 vitórias, 17 empates e 13 derrotas - 62,5% de aproveitamento, com um título invicto, uma eliminação nas semifinais, outra nas quartas, três nas oitavas de final e uma na pré-Libertadores.

Além disso, em 2004, Tite deixou o São Caetano após estrear com vitória na primeira rodada.

Para ir longe na Libertadores com o Flamengo, Tite tem como foco o equilíbrio tático da equipe.

A ideia do treinador, que sempre teve como característica principal a habilidade em montar equipes que não só levam poucos gols, mas sofrem pouco nas partidas, é manter o estilo ofensivo do elenco do rubro-negro ao lado de uma defesa bem arquitetada. Nos 12 jogos no ano, o saldo de gols é de 27, com média de 2,2 gols por partida, e nenhum sofrido.

“Uma equipe que só se defende e prima por não tomar gol vai perder. Uma equipe que desequilibradamente busca só fazer gol e abre mão de ser consistente e organizada vai perder”, disse o treinador rubro-negro.

Um dos estigmas que Tite terá a oportunidade de enfrentar é o de ser um treinador que, em jogos mata-mata, não consegue encontrar alternativas para fazer com que seus times consigam reverter cenários adversos.

Essa foi uma das grandes críticas que o técnico enfrentou após a eliminação do Brasil na Copa do Catar, em 2022.

Para enfrentar o Millonarios, o Flamengo, que deve ter David Luiz na zaga no lugar de Fabrício Bruno, enfrentará também uma altitude de 2.650m. No entanto, a comissão técnica acredita que esse não deve ser um fator preponderante.

“Se você já chega com uma mentalidade que vai ser difícil, que a dificuldade é muito mais nossa do que do adversário, isso pode trazer um sentimento de inferioridade. Tem o momento de chegar, o horário de chegar, como chegar, em termos até de refeições também, a gente tem tudo isso muito bem organizado”, disse o auxiliar Cesar Sampaio.

Prováveis escalações

Millonarios

Novoa; Vanegas, Moreno, Arias e Hernández; Vega, Juan Pereira e Castro; Ruiz, E. Rodríguez e Carvajal

Técnico: Alberto Gamero

Flamengo

Rossi; Varela, David Luiz, Léo Pereira e Ayrton Lucas; Pulgar, De La Cruz e Arrascaeta; Luiz Araújo, Everton e Pedro

Técnico: Tite

Estádio: El Campín (Bogotá-COL) Horário: 19 horas

Árbitro: Darío Herrera (ARG)


Reforço para os cofres do clube

Um título da Libertadores é o sonho de qualquer jogador, dirigente e torcedor. Mas para além do icônico troféu e do status de campeão sul-americano, disputar a competição - e avançar várias fases - reforça os cofres de qualquer clube. Ainda mais neste ano, em que a Conmebol anunciou uma premiação recorde.

Quem vencer a final marcada para 30 de novembro, em Buenos Aires, vai embolsar 23 milhões de dólares (R$ 116,1 milhões na cotação atual) só pelo jogo.

Como a premiação é cumulativa desde a fase de grupos - as equipes recebem pela participação na competição, por vitória e pela classificação nas fases seguintes -, o campeão levará um total de 36,2 milhões de dólares (R$ 182,96 milhões, na cotação atual).

Só de entrar em campo na fase de grupos, cada time vai receber 1 milhão de dólares (cerca de R$ 5 milhões) por partida. Cada vitória nesta primeira fase vale um bônus de mais 330 mil dólares (R$ 1,6 milhão).

Caso o campeão da Libertadores também conquiste o título do Mundial de Clubes, a Conmebol vai dar uma premiação de 5 milhões de dólares para a equipe (cerca de R$ 25,2 milhões).

Para efeito de comparação, a CBF paga, ao todo, cerca de R$ 96,3 milhões para o campeão da Copa do Brasil, caso o time tenha jogado a competição desde a primeira fase. Se o campeão for um time que entrou na terceira fase da competição, a premiação é de R$ 93,1 milhões.

No Campeonato Brasileiro, a CBF pagou R$ 47,8 milhões ao Palmeiras, campeão de 2023.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: