X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Experiência para ajudar o Vitória na Copa do Brasil

| 05/02/2020 17:28 h | Atualizado em 05/02/2020, 17:47

Imagem ilustrativa da imagem Experiência para ajudar o Vitória na Copa do Brasil

Passar de fase na Copa do Brasil é um sonho para qualquer time capixaba. Em sua quarta participação, o Vitória terá mais uma oportunidade para tentar avançar para a segunda fase pela primeira vez na história do clube, que tem 107 anos.

O Vitória foi eliminado na estreia nas edições de 2007, 2010 e 2011. Na quinta-feira (06), inicia sua quarta participação e recebe o CSA/AL, em jogo único, às 20h30, no estádio Salvador Costa. Para avançar, o time capixaba precisa vencer. A equipe alagoana, por sua vez, tem a vantagem do empate.

Três reforços alvianis já sentiram o gosto de passar de fase na Copa do Brasil: o lateral-esquerdo Jeferson e os atacantes Toni Galego e Beto. Dos três, Jeferson e Beto foram os que chegaram mais longe.

Em 2016, então com 19 anos, Jeferson estava no Juventude que só caiu nas quartas de final, nos pênaltis, diante do Atlético/MG.

“Na nossa equipe todo mundo atacava e fazia o que o treinador pedia. Foi assim que a gente conseguiu passar de fases”, lembra.

Beto chegou à segunda fase com o Avaí em 2013. Mas foi com o ABC/RN, em 2014, que ele fez papel de vilão de um time capixaba. O atacante marcou um dos gols da vitória do time potiguar por 4 a 1 em cima da Desportiva, no segundo jogo da primeira fase, eliminando o time grená.

Naquele ano, o ABC também parou nas quartas de final, diante do Cruzeiro. Aos 32 anos, Beto alerta para as dificuldades que o Vitória vai enfrentar na quinta-feira (06): “O CSA é muito forte. Vai ser o jogo mais difícil do ano para a gente, mas está todo mundo sabendo que é o jogo do ano para o Vitória”.

Já Toni Galego avançou de fase em 2016, com o Juazeirense/BA, eliminando o Cuiabá. E acredita que o formato de jogo único nas duas primeira fases, inaugurado em 2017, aumenta as chances dos times “menores”.

“Com o novo regulamento está um pouco mais fácil passar de fase porque não tem o segundo jogo na casa do time considerado maior”, disse o atacante, no treino noturno de terça-feira (04). 

Premiação pode ser usada para reforçar o time na Série D

Imagem ilustrativa da imagem Experiência para ajudar o Vitória na Copa do Brasil

Avançar para a segunda fase da Copa do Brasil não significaria apenas um feito único na história do Vitória, mas também pode trazer um ganho financeiro importante para o objetivo do clube de subir para a Série C do Brasileiro ainda este ano.

Se derrotar o CSA em jogo único na quinta-feira (06), no Salvador Costa, o Vitória garante R$ 650 mil de premiação. Dinheiro que será usado para melhorias no estádio e, principalmente, para reforçar o time para a disputa da Quadradona deste ano.

O clube alvianil já tem direito a R$ 540 mil pela participação na primeira fase da Copa do Brasil.

“Vamos investir no próprio clube, em melhorias nas dependências do clube e no estádio, e em atletas porque temos de ter um bom time para alçar voos maiores. Vai ser uma 'gordura' para investir no futebol”, afirma o presidente do Vitória, Ademar Rocha, que promete reforços de peso.

Na Quadradona do ano passado, com Valdir Bigode no comando, o time alvianil caiu nas oitavas de final diante do Ituano, depois de um empate em 0 a 0 e uma derrota por 2 a 1, mas com erro de arbitragem, que assinalou pênalti em lance que ocorreu fora da área.

“Temos ofertas de atletas que participaram de Séries A e B, mas estamos com nosso orçamento já todo comprometido. Mas se esse recurso chegar, a torcida terá boas surpresas”, garante o dirigente

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS