X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Espanha domina Itália, mas só consegue vitória e classificação na Euro graças a gol contra


A Espanha aterrorizou a Itália durante a maior parte do duelo desta quinta-feira, pela segunda rodada da Eurocopa, mas só conseguiu balançar a rede graças ao zagueiro italiano Calafiori, que fez contra. A trapalhada do defensor originou o único gol da partida, encerrada com vitória por 1 a 0 para os espanhóis, agora classificados para as oitavas de final.

Na última rodada da fase de grupos, a seleção comandada por Luis de La Fuente, líder do Grupo B, com seis pontos, vai enfrentar a Albânia do técnico brasileiro Sylvinho, dona de um ponto, às 16 horas de segunda-feira. No mesmo dia e horário, a Itália - segunda colocada, com seis pontos - enfrenta a Croácia, quarta colocada, com um ponto.

O futebol apresentado pela seleção espanhola durante o primeiro tempo foi agradável aos olhos dos espectadores e perturbador para a Itália, que teve uma atuação basicamente limitada a se defender durante quase todo o primeiro tempo. As investidas de Nico Williams pelo lado esquerdo do ataque foram um pesadelo para o lateral-direito italiano Di Lorenzo, constantemente desafiado a parar os dribles do jovem ponta de 21 anos.

O domínio da Espanha no setor ofensivo só foi possível porque havia organização também na defesa, com uma linha que se articulava rapidamente na hora de impedir os contra-ataques ensaiados pelos rivais. Pelo meio, Rodri e Fabián Ruiz eram bem-sucedidos na ligação com o ataque.

Faltava um pouco mais da participação de Pedri, mas a ausência de protagonismo do meio-campista não foi um empecilho aos espanhóis. Ao fim da etapa inicial, ficou a frustração de não ter conseguido balançar a rede depois de criar oportunidades de diversas formas, principalmente em jogadas áreas, mas também em chutes de fora da área e conclusões consequentes de boas articulações de passes.

No começo segundo tempo, o zagueiro italiano Calafiori fez o que os atacantes espanhóis não conseguiram fazer durante todo o primeiro tempo. Em jogada de muita infelicidade, ele deu uma joelhada na bola, que já havia passado pelo goleiro após cruzamento de Nico Williams, e colocou a bola na própria rede para abrir o placar para os rivais.

O jogo continuou com o mesmo desenho. Fora lances extremamente pontuais, a Itália mal levou perigo à defesa da Espanha, que manteve a agressividade e gerou oportunidades de ampliar o placar, como uma finalização de Williams no travessão. Os minutos finais foram de mais ações ofensivas italianas, porém sem tanta intensidade. Já Donnarumma continuou trabalhando e evitou novos gols espanhóis.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: