Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Djokovic pode ter fraudado teste de Covid apresentado na Austrália, diz TV

Agência Folhapress | 29/01/2022 10:38 h

A TV britânica BBC apontou inconsistências e indícios de fraudes nos testes de Covid-19 apresentado pelo tenista Novak Djokovic para tentar participar do Australia Open. O atleta, que não se vacinou, foi deportado do país depois de perder um recurso na Justiça após o governo local cancelar seu visto.

Segundo a reportagem, os documentos apresentados pela defesa de Djokovic à Justiça australiana incluem testes para Covid realizados na Sérvia: um com resultado positivo, feito em 16 de dezembro, e outro, de 22 de dezembro, que mostra o tenista livre da infecção.

No entanto, os dados do exame número 7371999 sugerem que o resultado negativo seria de um exame feito no dia 26 de dezembro às 14h21. A reportagem ressalta que a data posterior poderia ter sido a do registro ou download do resultado, apesar de o mais comum ser o registro imediato após o resultado.

Outra inconsistência é o número de registro do exame negativo apresentado pela defesa. O PCR de número 7371999, apresentado como tendo sido realizado em 16 de dezembro, tem o número inferior ao resultado negativo (7320919), que, segundo a defesa foi feito em 22 de dezembro.

Geralmente os números usados para organizar os resultados dos exames realizados na Sérvia apresentam-se de forma sequencial, a exceção foi o do tenista. A BBC ressalta, no entanto, que os dois testes foram feitos por Djokovic foram processados por laboratórios diferentes, e é possível que os estabelecimentos tenham recebido lotes diferentes de códigos de confirmação, o que poderia explicar o motivo de o segundo exame ter um número maior do que o primeiro.

Novak Djokovic.
Novak Djokovic. |  Foto: Redes sociais
 
Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS