X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Corinthians é condenado por calote milionário em empresa de consultoria financeira


A Justiça de São Paulo deu o prazo de três dias para o Corinthians quitar a dívida de aproximadamente R$ 1,5 milhão com a KPMG. Contratada para auxiliar na reestruturação das contas do clube, a empresa de consultoria financeira alega não ter recebido pelo serviço, prestado ainda na gestão do ex-presidente Duílio Monteiro Alves.

Um acordo firmado entre as partes previa a quitação da pendência até 20 de janeiro. A informação foi noticiada primeiramente pela ESPN e confirmada pelo Estadão. A reportagem entrou em contato com o clube e aguarda a manifestação.

O caso corre na 1ª Vara Cível do Foro Regional do Tatuapé. A decisão, do juiz Paulo Guilherme Amaral Toledo, foi publicada nesta quinta-feira, 13. Também foi determinado que o Corinthians pague os honorários dos advogados, fixado em 10% do valor executado. O clube tem 15 dias para apresentar recurso. Caso o debitado não seja quitado após a citação na Justiça, o Corinthians corre o risco de bloqueios e penhora de bens.

Nos autos do processo, a KPMG diz ter feito "todos os esforços possíveis para recebimento, de forma amigável" do pagamento referente à dívida, mas afirma que o Corinthians permaneceu "inerte e não honrou com o compromisso assumido no título extrajudicial exequendo, não restando, assim, alternativa à KPMG para o recebimento de seu crédito senão o ajuizamento desta ação de execução."

Ao Estadão , Duílio disse que reconheceu a dívida, mas afirmou que assim como os valores de contratos de patrocínio firmados no seu último ano de mandato, as renegociações também são de responsabilidade da nova gestão, encabeçada pelo presidente Augusto Melo. O antigo mandatário alega que pendência foi informada durante a transição, mas que o débito não foi levado a sério pelo seu sucessor.

DÍVIDAS

O balanço do último ano da gestão de Duílio no Corinthians apontou que o clube tem um endividamento líquido de R$ 886 milhões. Segundo estudo da EY, houve uma queda de 4% em relação à temporada anterior (R$ 927 mi), e uma elevação de 138% no período analisado (2014 - 2023). O aumento da dívida do clube se deu especialmente nos últimos cinco anos.

Vale ressaltar que os números não levam em consideração a dívida com a Caixa Econômica Federal pelo financiamento da Neo Química Arena. De acordo com o ex-diretor financeiro do Corinthians, Rozallah Santoro, a pendência é de R$ 706 milhões atualmente. Assim, somado o endividamento líquido, o clube tem um passivo de aproximadamente R$ 2,1 bilhões.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: