X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Corinthians avalia contratação de Jorge Jesus após demitir Sylvinho

Técnico foi demitido ainda nos vestiários da Neo Química Arena, em Itaquera

Agência Folhapress | 03/02/2022 16:30 h

Corinthians avalia contratação de Jorge Jesus após demitir Sylvinho
Corinthians avalia contratação de Jorge Jesus após demitir Sylvinho |  Foto: Reprodução/ Instagram
 

O Corinthians decidiu, após três partidas na temporada 2022, trocar seu treinador. Xingado por boa parte da torcida antes, durante e depois da derrota por 2 a 1 para o Santos na noite de quarta-feira (2), Sylvinho foi demitido ainda nos vestiários da Neo Química Arena, em Itaquera.

Um constrangido Duilio Monteiro Alves fez breve pronunciamento para comunicar a saída do profissional de 47 anos. O presidente do clube do Parque São Jorge insistia na manutenção do técnico, mas se viu obrigado a alterar os planos.

"Entendemos ser o momento de interromper o trabalho com nosso treinador e o momento de fazer uma correção de rota. Vim aqui para comunicá-los e aproveito para agradecer todo o empenho do Sylvinho, todo o trabalho e toda a dedicação ao Corinthians", disse o dirigente.

Ex-jogador formado na própria agremiação alvinegra, o técnico teve apenas 48% de aproveitamento desde sua contratação, em maio do ano passado. Foram 43 jogos: 16 vitórias, 14 empates e 13 derrotas, com 42 gols marcados e 40 sofridos.

A média, portanto, foi de menos de um gol anotado por partida. As críticas foram crescendo e chegaram ao ponto mais agressivo no duelo com o Santos. Houve vaias por parte dos torcedores antes mesmo de a bola rolar, quando o comandante foi anunciado ao fim da escalação.

No intervalo, a organizada Gaviões da Fiel puxou gritos contra Sylvinho. No segundo tempo, após um gol do Corinthians e uma rápida virada do rival, o clima se tornou hostil. Parte do público no setor leste, de ingressos mais caros do que os de arquibancada, xingou em coro o ex-atleta.

Confirmada a derrota, a torcida presente no setor das organizadas -que apoiou o time enquanto a bola rolou- tornou a cobrança pelo adeus do treinador mais pesada. "Se o Sylvinho não sair, olê, olê, olá, o pau vai quebrar", gritaram, entre outros cânticos impublicáveis.

A diretoria, então, decidiu pela demissão, efetivamente jogando fora o trabalho de pré-temporada realizado em janeiro. Agora, busca alguém para ocupar a vaga, uma procura que não é considerada fácil.

O primeiro nome que logo surgiu foi o do português Jorge Jesus, 67, que fez sucesso no Flamengo e deixou recentemente o Benfica. Pessoas ligadas ao Corinthians já haviam feito uma sondagem na virada do ano, porém, na ocasião, a opção foi manter Sylvinho.

Um dos motivos era o alto preço. Os ganhos de Jesus em Portugal eram de 7 milhões de euros por ano, o equivalente a quase R$ 42 milhões. Para existir alguma possibilidade de acerto agora, o experiente treinador terá de aceitar um valor bem menor.

Outro português que tem o nome ventilado no clube é Vítor Pereira, 53, que deixou o Fenerbahçe no final do ano. Por enquanto, a diretoria diz que está avaliando as possibilidades e não tem negociações em andamento.

Enquanto um novo comandante não é contratado, a equipe fica sob comando interino de Fernando Lázaro, 40. Filho do ex-jogador alvinegro Zé Maria, ele é membro fixo da comissão técnica do Corinthians. Doriva, que era auxiliar de Sylvinho, também saiu.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS