X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Ciclista da Eritreia é 1º negro africano a vencer uma etapa da Volta da França


O ciclista Biniam Girmay, da Eritreia, se tornou o primeiro negro africano a vencer uma etapa do Tour de France nesta segunda-feira, ao terminar na frente o terceiro estágio da maior prova do ciclismo mundial.

Girmay disse que a seu triunfo foi "para todos os africanos". "Devemos estar orgulhosos agora. Realmente fazemos parte das grandes provas", afirmou o ciclista. "Agora é o nosso momento. Chegou a nossa hora."

"Havia um continente inteiro que estava esperando por isso. Já foi feito e espero que abra as portas para mais ciclistas de África. Ele é um embaixador em todos os sentidos", afirmou Aike Visbeek, diretor de desempenho da equipe Intermarche-Wanty, de Girmay.

O atleta eritreu já havia feito história na Itália há dois anos, quando venceu uma etapa do Giro da Itália para se tornar o primeiro negro africano a triunfar em um Grand Tour, que abrange as três principais corridas de três semanas: a Volta da França, o Giro e a Vuelta Espanhola.

A curiosidade da façanha foi que Girmay pouco pode comemorar: ele foi levado às pressas para um hospital depois de ser atingido no olho esquerdo pela rolha de prosecco que abriu durante a celebração do pódio.

A atual edição da Volta da França marca a tentativa de Mark Cavendish buscar o recorde de 35 vitórias. Aos 39 anos, Cavendish está empatado com Eddy Merckx com 34 triunfos e adiou a aposentadoria para tentar se isolar como maior vencedor.

Girmay venceu a mais longa etapa do evento, com 231 quilômetros, entre Piacenza a Turim, na Itália. O campeão olímpico Richard Carapaz tirou a camisa amarela de Tadej Pogacar, tornando-se o primeiro equatoriano a liderar a prova.

Pogacar, que venceu a Volta da França em 2020 e 2021, e Jonas Vingegaard, atual bicampeão, são os favoritos para tirar a camisa amarela de Carapaz, que venceu o Giro da Itália em 2019 antes de conquistar o ouro na Olimpíada de Tóquio-2020. "Amanhã será um grande dia", disse Carapaz. "Vou tentar dar tudo, vou tentar aproveitar cada momento com a camisa amarela."

A quarta etapa nesta terça-feira marca a volta à França e é também o primeiro grande trecho de montanha, com percurso de 140 quilômetros.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: