X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Brasil vence Japão de virada e mantém invencibilidade na Liga das Nações Feminina de vôlei


A seleção brasileira feminina de vôlei segue invicta na Liga das Nações. Na manhã desta terça-feira, em Macau, o time do técnico Zé Roberto Guimarães derrotou o Japão por 3 sets a 2, parciais de 24/26, 26/24, 19/25, 25/20 e 15/11. Com o resultado, o time nacional se mantém invicto no torneio. São cinco vitórias em cinco confrontos. Na etapa do Rio de Janeiro, o Brasil superou Canadá, Coreia do Sul, Estados Unidos e Sérvia.

Para garantir o triunfo, as brasileiras tiveram que buscar o empate para, no quinto set, determinar a virada. O Brasil volta a jogar na próxima quinta-feira pela competição, quando enfrenta a seleção holandesa às 8h30, horário de Brasília.

O primeiro set teve um início preocupante. O Brasil não conseguiu encaixar seu ataque e sofreu com a variação ofensiva das japonesas. Com velocidade e precisão, o Japão imprimiu um ritmo forte e logo abriu uma vantagem de 5 a 1.

Apreensivo, o técnico Zé Roberto Guimarães pediu foco à seleção brasileira e, aos poucos, a partida foi ficando equilibrada. Após sustentar uma vantagem de três pontos por um bom tempo, principalmente explorando a ponteira Ishikawa, o Japão passou a ser barrado pelo bloqueio brasileiro.

O time nacional começou a incomodar as japonesas, e na base da criatividade, em jogada de Carol, a seleção conseguiu a igualdade em 16 a 16. O equilíbrio se manteve até o fim do primeiro set. Na chance de definir a parcial, no entanto, o bloqueio japonês prevaleceu. Em seguida, com um set point a favor, o Japão fechou em 26 a 24.

O segundo set teve um início diferente em relação à primeira parcial. Com dois pontos de saque de Gabi, o Brasil abriu 4 a 1, mas logo cedeu ao jogo de variações das rivais, que conseguiram a igualdade em 6 a 6. A sequência foi marcada pelo equilíbrio, com as duas seleções trocando pontos e deixando o confronto empatado.

Bem no jogo, Gabi fez seu terceiro ponto no saque neste set e colocou o Brasil na frente: 19 a 18. As japonesas mantiveram o ritmo, mas novamente em jogada da ponteira brasileira, a equipe de Zé Roberto fez 22 a 20.

A seleção nacional chegou a fazer 24 a 21, mas o Japão empatou. Um erro de saque de Araki, no entanto, mudou o cenário da partida. Com 25 a 24 a favor, Gabi mais uma vez chamou a responsabilidade, furou o bloqueio rival, e devolveu o placar do set inicial: 26 a 24 e duelo igualado.

Após um início equilibrado, o terceiro set contou com erros infantis da seleção brasileira. A falta de foco permitiu ao Japão abrir vantagem e administrar com tranquilidade a liderança do placar. O Brasil não conseguiu parar a atacante Ishikawa na rede e o Japão chegou a ter 21 a 12 no marcador.

Num jogo de paciência, o Brasil não facilitou em quadra e reduziu a diferença para quatro pontos (21 a 17). No entanto, o Japão apostou na troca de bolas para definir o terceiro set em 25 a 19.

O Japão logo abriu 2 a 0 no quarto set e Zé Roberto Guimarães apostou em Thaísa. A opção deu certo e a jogadora anotou três dos quatro pontos brasileiros decretando o empate neste início de parcial.

Com a necessidade de vencer para levar a partida para o quinto set, o Brasil mostrou determinação para impor o seu jogo e não deu chances ao bloqueio das japonesas. Administrando uma vantagem de quatro pontos na parte final da parcial, o triunfo foi definido em ataque da Thaisa: 2 a 2 em sets com 25 a 20.

No quinto e decisivo set o Brasil logo conseguiu a dianteira. Com um forte bloqueio, a equipe abriu 4 a 1 e administrou a vantagem. As japonesas, que tinham tiveram dificuldade no ataque, se descontrolaram no final. Thaísa e Carol foram decisivas na rede e o Brasil definiu o triunfo em 15 a 11 na quinta parcial.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: