X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Belas e muito feras na quadra

| 20/01/2020 11:15 h

Se beleza fosse um dos fundamentos para ser campeão, a mais nova dupla 100% capixaba de vôlei de praia já sairia em vantagem. Mas as belas Elize Maia, de 35 anos, e Thâmela Coradello, de 19, vão além e esbanjam também habilidade e talento.

Elize Maia e Thâmela treinam em Vila Velha e vão estrear a dupla na etapa de João Pessoa do Circuito Brasileiro.
Elize Maia e Thâmela treinam em Vila Velha e vão estrear a dupla na etapa de João Pessoa do Circuito Brasileiro. |  Foto: Divulgação

A estreia da dupla acontece na quarta etapa do Circuito Brasileiro, que começa na próxima quarta-feira em João Pessoa (PB). E elas, que treinam em Vila Velha, adiantam que não se incomodam com o “título” de dupla mais bela do País.

“Fico feliz com esses elogios, sinal de que estamos fazendo jus à fama de que as mulheres capixabas são muito belas e vamos levar isso pelo Brasil afora”, afirma Elize, que já teve carreira de modelo.

A etapa também terá um gosto de retorno para Elize, que nos últimos dois anos não engatou uma sequência de competições. Em 2018, ela sofreu uma grave lesão no joelho na primeira competição do ano, ainda em janeiro, e ficou quase seis meses sem jogar. No final deste mesmo ano, descobriu que estava grávida.

“O ano que não havia começado nada bem terminaria com uma felicidade maior”, conta Elize, que três meses após dar à luz a filha Antônia, retornou às quadras em novembro do ano passado ao lado da carioca Maria Elisa para disputar em Ribeirão Preto (SP) a última etapa do ano do circuito.
Como a carioca também ficou grávida, a medalhista de ouro nos Jogos Sul-Americanos de Praia de Montevidéu em 2009 acabou encontrando uma solução no “quintal de casa”: Thâmela, que vinha brilhando nas competições sub-21 ao lado da paranaense Ingridh.

“A Thâmela tinha voltado a Vitória e estava treinando comigo no final de ano. Ela me chamou a atenção pelos bons fundamentos, pela atitude em quadra. Sentimos uma sintonia.”

Thâmela, que começou jogando vôlei de quadra em Piúma, sua cidade natal, antes de migrar para a areia, explica que a nova parceria vai exigir uma mudança de estilo de jogo.

“Somos duas bloqueadoras, mas definimos que a Elize vai fazer o fundo de quadra. E ela está se dando muito bem nessa função. Tudo está favorecendo a gente, está sendo bem legal essa divisão de funções”, define a jovem.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS