X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Áudio do VAR revela dúvida da arbitragem sobre gol anulado do Palmeiras


Horas após a vitória do Palmeiras sobre o Botafogo-SP, na noite de quinta-feira, pela terceira fase da Copa do Brasil, a CBF divulgou o áudio do VAR da anulação do que seria o segundo gol do time alviverde, marcado por Rony, aos 31 minutos do segundo tempo. A equipe de Abel Ferreira venceu por 2 a 1, com a joia Estêvão balançando as redes nos acréscimos e garantindo o resultado positivo aos donos da casa.

Na cabine, a equipe do VAR, encabeçada por Igor Junio Benevenuto de Oliveira (Fifa-MG), e o árbitro Bruno Vieira Vasconcelos (BA) debatiam se a linha que determina o impedimento deveria ser traçada no ombro ou no pé do defensor do Botafogo-SP. "Quer marcar no ombro ou no pé?", perguntou um dos membros aos companheiros.

A equipe do VAR interpretou que o pé do jogador do Botafogo seria a parte do corpo mais ao fundo no campo para a marcação da linha de impedimento. Na avaliação da arbitragem, o ombro de Rony estava um pouco à frente da linha marcada, o que gerou a irregularidade no gol do Palmeiras.

A avaliação durou menos de 2 minutos e causou revolta no banco do Palmeiras, que acompanhava tudo pelo telão. Percebendo a confusão, a equipe de arbitragem realizou novamente o traçado das linhas, tendo como base os mesmos pontos anteriores, e indicando mais uma vez o impedimento. O técnico Abel Ferreira e o auxiliar João Martins receberam cartões amarelos por reclamação.

Após a partida, o treinador português esbravejou contra a marcação. "Foi gol. Quando eu olho a imagem, é gol. É a minha opinião. O VAR devia estar aí para tirar dúvidas, mas eu olho e é gol. Reclamei porque a linha não pode ser traçada na orelha do jogador. Vamos esperar o que eles vão dizer, mas o que posso falar é que o VAR precisa acabar com dúvidas. Se é fora de jogo (impedido), então é. E eu olho para a imagem e para mim não era. É o que eu tenho a dizer", disparou.

A partida de volta está marcada para o dia 23 de maio, às 19h (horário de Brasília), em Ribeirão Preto. Um empate já garante o time alviverde nas oitavas de final.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: