X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Atual campeã, Swiatek salva match point e supera Osaka após batalha de 3 horas em Roland Garros


A chuva mais uma vez prejudicou a jornada em Roland Garros. Com as quadras descobertas sem condições de receber jogos, as atenções ficaram para as partidas na Philippe-Chatrier, a quadra central, e a Suzanne Lenglen, também coberta do Grand Slam de Paris. O palco dos principais embates viu a líder do ranking e atual campeã, Iga Swiatek, precisar de todo seu talento para evitar uma eliminação precoce diante de Naomi Osaka - salvou um match point em partida de três horas. E ainda recebeu Carlos Alcaraz, que levou um susto do holandês Jesper De Jong.

Osaka desperdiçou grande chance de protagonizar o resultado mais surpreendente, até então, na atual edição de Roland Garros. Atualmente somente 134ª do ranking, a primeira japonesa a ganhar um Grand Slam da história - levou o US Open em 2018 e liderou o ranking em 2019 - teve 5 a 2 no terceiro set e um match point diante da atual campeã e número 1 do mundo, e não aproveitou.

Com belos winners, potente saque a quase 200km/h e vibrando a todo momento, Osaka demonstrou desde o início que dificultaria a vida de Swiatek. O primeiro set foi mais complicado do que a polonesa poderia imaginar. Depois de abrir 3 a 1 com uma quebra, viu a japonesa buscar a igualdade com 4 a 4 e a definição acabou no tie-break. Na parcial desempate, a líder do ranking arrasou, fez logo 4 a 0 e fechou por 7 a 1.

A apresentação fulminante do tie-break deu lugar à apatia no segundo set. Com Osaka correndo muito e chegando em todas as bolas, o empate acabou inevitável, vindo de maneira indiscutível e com grande imposição, com a japonesa aplicando 6 a 1.

Swiatek acabou indo para os vestiários antes da parcial decisiva aproveitando os cinco minutos a que tem direito de pausa. Voltou desperdiçando três break points. E acabou quebrada logo a seguir após abrir 40 a 15. Enquanto Osaka vibrava, a atual campeã demonstrava irritação com os winners e fortes golpes da adversária. Novamente a polonesa não aproveitou as chances de quebra (foram cinco), saindo com 0 a 40, e ficou em desvantagem de 3 a 0.

Sem poder errar mais, a polonesa se manteve na parcial graças ao saque e na base da superação. Após salvar um break point, reduziu a desvantagem para 4 a 2 e vibrou. Precisava devolver a quebra, contudo. E conseguiu quando Osaka sacava para fechar e teve um match point. Com 5 a 4 e de volta ao jogo, buscou o empate no serviço.

Quem se abalou na reta final foi Osaka. E quase atirou a raquete ao chão ao perder um ponto. Respirou fundo e teve chances de retomar a liderança do placar, mas levou a virada em dupla falta. Swiatek fechou a batalha no primeiro set point, com bola para fora da japonesa.

Ainda pelo torneio feminino, a americana Coco Gauff (3ª cabeça de chave) passou sem sustos por Tamara Zidansek, da Eslovênia, com 6/3 e 6/4. A tunisiana Ons Jabeur (8ª) superou a colombiana Camila Osorio em três sets, com 6/3, 1/6 e 6/3, enquanto a americana Sofia Kenin eliminou a francesa Caroline Garcia (21ª) com duplo 6/3.

ALCARAZ LEVA SUSTO, MAS SUPERA HOLANDÊS

Com os problemas físicos de Novak Djokovic, cabeça de chave 1, e a eliminação na estreia de Rafael Nadal, o também espanhol Carlos Alcaraz aparece como um dos grandes favoritos ao título na terra batida de Paris. Mas o segundo jogo foi um pouco mais trabalhoso, com vitória em quatro sets, parciais de 6/3, 6/4, 2/6 e 6/2.

O terceiro favorito em Roland Garros começou preocupante na Philippe-Chatrier, saindo em desvantagem de 2 a 0 no primeiro set. Mas emplacou três quebras para virar a parcial e fechar com 6/3. O segundo set foi equilibrado até 5 a 4, quando o espanhol aproveitou o break point e fechou com 6 a 4.

A terceira parcial foi toda do holandês. De Jong se encontrou na partida e foi logo abrindo 5 a 1. Alcaraz, cometendo alguns erros, chegou a se irritar. Acabou perdendo o set por 6 a 2 e começou o seguinte ainda fora de sintonia.

De Jong quebrou o saque de Alcaraz no primeiro e terceiro games. Ocorre que também não sustentou o serviço, permitindo a reação do espanhol, que embalou após reagir e buscar o 2 a 2 e emplacou cinco games para fechar a partida.

Na quadra Suzanne Lenglen, o grego Stefanos Tsitsipas (9º favorito) passou bem pelo alemão Daniel Altmaier, parciais de 6/3, 6/2, 6/7 (2/7) e 6/4. Já o russo Andrey Rublev (6º) encarou o espanhol Pedro Martínez e avançou em sets diretos, com 6/3, 6/4 e 6/3.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: