X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Athletico-PR tem gol e pênalti anulados e empata com Estudiantes na Libertadores

Decisão pela vaga na semifinal ficou para a partida na Argentina

Agência Folhapress | 05/08/2022 08:23 h

Fernandinho tenta se livrar da marcação
Fernandinho tenta se livrar da marcação |  Foto: José Tramontin/athletico.com.br
 

O Athletico-PR forçou, mas não saiu do 0 a 0 com o Estudiantes em jogo válido pela ida das quartas de final da Libertadores, disputado na noite desta quinta-feira (4) dentro da Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

A partida ficou marcada por uma polêmica envolvendo um pênalti para os paranaenses ainda no primeiro tempo. Árbitro da partida, Jesús Valenzuela chegou a assinalar uma mão na bola de Godoy em cabeceio de Cuello, mas foi chamado por Julio Bascuñan, responsável do VAR, e anulou a própria decisão.

Já na etapa final, um gol do zagueiro Thiago Heleno após cruzamento de Khellven também foi invalidado após intervenção do árbitro de vídeo, que captou impedimento do lateral.

O início da partida ficou marcado pelo forte ritmo imposto pelas duas equipes, que abdicaram de "estudar o adversário" e engataram boas jogadas ofensivas.

Os argentinos, no entanto, chegaram com mais perigo. Aos cinco minutos, Castro recebeu lançamento em infiltração e bateu na rede pelo lado de fora do gol dos paranaenses - o lance foi invalidado por impedimento.

Aos 16 minutos, o Estudiantes quase abriu o placar por meio de um de seus pontos fortes: a bola alta. Em escanteio cobrado por Zuqui, o zagueiro Lollo subiu mais do que todo mundo e cabeceou firme. Bento operou um milagre e espalmou.

Depois de uma quase pressão dos visitantes, o jogo passou a ganhar um número maior de faltas e divididas duras entre brasileiros e argentinos.

O primeiro a ser advertido pelo árbitro Jesús Valenzuela foi o volante Fernandinho, que acertou Rodríguez com o cotovelo e recebeu amarelo. Pouco depois, Lollo cometeu falta por trás em Canobbio, mas acabou apenas com uma advertência verbal.

Aos 24 minutos, o Athletico chegou a ter um pênalti marcado por Valenzuela. O lateral Khellven fez longo lançamento em direção a Cuello e, para evitar a saída em tiro de meta, o atacante cabeceou para o meio da área. Com o desvio, a bola bateu no braço esquerdo de Godoy.

Rapidamente, o árbitro assinalou o pênalti, mas foi chamado pelo VAR, comandado por Julio Bascuñan, para revisar o lance.

Depois de analisar na cabine, o juiz anulou a marcação e enfureceu os torcedores presentes na Arena da Baixada.

Mesmo com o pênalti anulado, o Athletico não desanimou, passou a tomar conta do jogo e agrediu, principalmente nas bolas paradas, o adversário antes do intervalo.

Os brasileiros protagonizaram ao menos três sustos ao Estudiantes em cobranças de falta: primeiro, Khellven obrigou Andújar a trabalhar. Depois, Terans mandou por cima da meta. Já na casa dos 40 minutos, foi a vez de Cuello bater e, após desvio na barreira, ver o goleiro argentino executar nova defesa.

O Athetico voltou para o segundo tempo mais descalibrado: em apenas 15 minutos, Cuello, Terans e Hugo Moura arriscaram de média distância, mas erraram o alvo.

A resposta argentina veio em contra-ataque, e Piatti quase marcou de cobertura após Bento sair do gol para abafar um lançamento.

Em meio aos erros nas finalizações, Felipão ouviu a torcida e mexeu no time: Pablo e Terans deram lugar, respectivamente, a Vitor Roque e ao estreante Alex Santana. Logo depois, mais duas trocas: Vitinho e Léo Cittadini entraram nas vagas de Canobbio e Hugo Moura. Enquanto isso, Rollheiser substituiu Piatti no Estudiantes.

As substituições deixaram o Athletico mais veloz e perigoso. Aos 27 minutos, Khellven cobrou falta na medida e Fernandinho desviou em diagonal. O zagueiro Pedro Henrique, já na região da pequena área, não conseguiu direcionar o cabeceio e mandou para fora.

Um minuto depois, foi a vez de Léo Cittadini desperdiçar novo cruzamento feito na medida por Khellven - o próprio lateral arriscou de fora da área e ganhou escanteio pouco depois. Na cobrança, Fernandinho mandou por cima do gol de Andújar.

A pressão dos mandantes, sempre com ataques pela direita e com Khellven acionado, desencadeou em bola na rede.

O atleta de 21 anos, em novo cruzamento caprichado, acertou a cabeça de Thiago Heleno, que testou para o fundo do gol. Apesar da festa, a jogada foi anulada por impedimento do lateral.

Já nos acréscimos, Pellegrino, que entrou no lugar de Mauro Méndez, quase balançou as redes para o Estudiantes.

As equipes voltam a campo para decidir a vaga na semifinal do torneio continental na próxima quinta-feira (11), a partir das 21h30 (de Brasília), em La Plata (Argentina). Quem passar de fase encara o vencedor de Palmeiras x Atlético-MG.

Antes disso, o Athletico-PR tem pela frente justamente o Atlético-MG, no domingo (7), em jogo do Campeonato Brasileiro. Os argentinos também possuem compromisso no fim de semana e encaram o San Lorenzo pelo Campeonato Argentino.

ATHLETICO-PR

Bento; Khellven, Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner; Hugo Moura (Léo Cittadini), Fernandinho e Terans (Alex Santana); Cuello, Canobbio (Vitinho) e Pablo (Vitor Roque). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

ESTUDIANTES

Andújar; Leo Godoy, Rogel, Morel, Lollo e Mas; Castro, Zuqui (Nehuén Paz), Rodríguez e Pablo Piatti (Rollheiser); Mauro Méndez (Pellegrino). Técnico: Ricardo Zielinski.

Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Árbitro: Jesus Valenzuela (VEN)

Assistentes: Jorge Urrego (VEN) e Tulio Moreno (VEN)

Árbitro de Vídeo (VAR): Julio Bascuñan (CHI)

Cartões amarelos: Fernandinho e Hugo Moura (ATH); Piatti, Rogel, Castro e Más (EST)

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS