X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Após deixar prisão, zagueiro Renan diz sofrer ameaças e se muda de Bragança

As ameaças teriam acontecido enquanto o atleta estava preso

Renan Silva, da Agência Folhapress | 26/07/2022 11:15 h

O zagueiro Renan Victor da Silva, que na última sexta-feira (22) se envolveu num acidente que matou um motociclista em Bragança Paulista (SP), precisou se mudar da cidade. O jogador, que tem contrato com o Palmeiras e está emprestado ao Red Bull Bragantino, afirma que sua família sofreu ameaças na frente do condomínio onde ele morava.

-
- |  Foto: Reprodução/Instagram
  

As ameaças teriam acontecido enquanto o atleta estava preso - ele passou um dia na prisão e foi liberado no sábado (23) sob o compromisso de pagar fiança de R$ 240 mil e de entregar à polícia o seu passaporte. Por causa das ameaças, os advogados de Renan pediram ao foro da cidade a mudança de endereço do jogador, que foi indiciado por homicídio culposo.

"[Renan] tomou conhecimento, por familiares, de que nessas últimas 24 (vinte e quatro) horas já recebeu ameaças na porta da sua residência, tendo motivos concretos para temer por sua integridade física e de sua família", escreveram os advogados do jogador na petição. "Inclusive, circulam nas redes sociais comentários ameaçadores e vídeos contendo agressividade contra [ele]."

O caso ganhou repercussão principalmente pela morte da vítima, o encarregado Eliezer Pena, que ia de moto ao trabalho quando foi atingido pelo Honda Civic do zagueiro, por volta das 6h30 da manhã. Eliezer era palmeirense e deixou mulher e duas filhas.

A polícia encontrou uma garrafa de bebida alcoólica perto do carro do zagueiro, que será periciada. Por orientação de sua defesa, Renan se recusou a fazer o teste do bafômetro duas vezes, e um exame clínico feito quatro horas depois do acidente, atestou que ele não estava embriagado.

Na tarde de ontem, o caso foi remetido ao Ministério Público de Bragança, que vai analisar a investigação feita pela polícia para decidir por qual crime Renan será denunciado. Se o MP considerar que ele cometeu homicídio culposo, a pena pode variar entre cinco e oito anos de prisão, já que ele não estava habilitado para dirigir. Mas se a promotoria considerar que ele cometeu homicídio doloso, quando há intenção de matar ou quando se assume o risco de matar, a pena pode chegar a 20 anos.

O Palmeiras e o Bragantino já se movimentam para romper o vínculo com o jogador, que é campeão mundial sub-17 com a seleção brasileira e campeão da Libertadores com o clube alviverde.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS