search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Espírito Santo quer vacinar agentes de segurança antes dos presos

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Espírito Santo quer vacinar agentes de segurança antes dos presos


 (Foto: Thiago Coutinho / AT - 04/12/2018)
(Foto: Thiago Coutinho / AT - 04/12/2018)

O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Alexandre Ramalho, se posicionou contrário a intenção do Ministério da Saúde em priorizar a vacinação de internos do sistema carcerário em relação a agentes de segurança pública. De acordo com o titular da pasta, o Espírito Santo quer vacinar os servidores antes dos presos.

"Isso é uma aberração e um absurdo. Já manifestamos nosso posicionamento junto a Secretaria Estadual de Saúde e falamos diretamente com o governador do Estado, e todos concordam com nossa solicitação de inverter essa ordem de prioridades", afirmou o secretário.

Ramalho faz parte do Conselho de Secretários Estaduais de Segurança que acionaram o Ministério da Justiça revoltados com planejamento do Ministério da Saúde, que colocou presos a 17º posição na lista de prioridades de vacinação, na frente dos agentes que trabalham no sistema carcerário (18º) e também antes das forças de segurança e salvamento (21º).

"O conselho está tentando argumentar junto ao Ministério da Justiça para interceder com o Ministério da Saúde e mudar a ordem de prioridades. Entendemos que tão logo atinja o limite de prioridade por risco de idade, já deva ser priorizada a vacinação dos agentes de segurança. Pretendemos elaborar uma carta aberta ao Ministério da Saúde argumentando sobre o assunto", declarou Ramalho.

Segundo dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), cinco policiais militares e um policial civil já morrem de Covid-19 no Estado deste o início da pandemia.

Por determinação do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), a pasta comandada pelo ministro Eduardo Pazuelo decidiu colocar números ao lado de cada grupo para deixar claro que a lista era, sim, a ordem dos grupos prioritários na vacinação contra Covid-19.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados