X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Servidores treinados para trabalhar em bairros com guerra de gangues

Recenseadores são orientados sobre como realizar a pesquisa em regiões, como em morros de Vitória, onde há briga entre facções

Taynara Nascimento, do jornal A Tribuna | 25/07/2022 13:47 h

Recenseadores  em visita para coleta de dados, que são protegidos por lei
Recenseadores em visita para coleta de dados, que são protegidos por lei |  Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias
 

Pesquisadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estão em treinamento para começar o Censo 2022, na próxima segunda-feira. Em meio aos conflitos armados em Vitória, os recenseadores receberam orientações sobre como realizar a pesquisa em regiões onde há tráfico de drogas.

No Espírito Santo, são cerca de 3.600 recenseadores treinando em 198 salas de aula, distribuídas em todos os municípios. O recenseador tem como principal função visitar os moradores durante a coleta de informações sobre os cidadãos. A jornada mínima de trabalho deve ser de 25 horas semanais.

Uma das coordenadoras de área dos polos de Vitória, Lorena Rodrigues Negreiros, de 31 anos, explicou que para a capital estão sendo treinados 330 servidores que irão realizar o Censo 2022 em seis grandes regiões. 

Coordenadora Lorena Negreiros afirma que líderes comunitários vão atuar juntamente com as equipes do Censo

IBGE treina pesquisadores para atuarem área de conflito

Na foto
Lorena Rodrigues Negreiro, coordenadora de área de Vitória  do IBGE, com o Dispositivo Movel de Coleta "DMC" aparelho usado na pesquisa do IBGE

Foto: Leone Iglesias
Coordenadora Lorena Negreiros afirma que líderes comunitários vão atuar juntamente com as equipes do Censo IBGE treina pesquisadores para atuarem área de conflito Na foto Lorena Rodrigues Negreiro, coordenadora de área de Vitória do IBGE, com o Dispositivo Movel de Coleta "DMC" aparelho usado na pesquisa do IBGE Foto: Leone Iglesias |  Foto: Leone Iglesias/AT
 

“Temos seis postos de coleta que funcionam como apoio aos recenseadores. Esse método é utilizado em todo o País, trabalhamos com regiões para orientá-los ”, explicou.

Nas últimas semanas, tiros e medo marcaram a madrugada da região do Centro de Vitória. Um tiroteio entre criminosos dos morros do Moscoso e do Cabral assustou moradores do entorno. Vídeos foram compartilhados nas redes sociais com os barulhos dos tiros disparados pelas facções rivais durante o confronto, inclusive, com fuzis. 

Os vídeos foram gravados durante a madrugada, mas, mesmo a luz do dia, moradores e profissionais da imprensa foram hostilizados na região, o que deixou recenseadores preocupados.  

Segundo os pesquisadores que estão sendo treinados para atuar nessas regiões, no momento do cadastro os recenseadores podem optar por regiões próximas de casa, o que facilita a coleta de dados. 

Lorena Negreiros ressalta que os líderes comunitários vão atuar juntamente com as equipes, sendo ponte de entrada nas comunidades e no envio de informações.

Já a Polícia Militar informou que o policiamento segue normalmente em toda a região, com patrulhamento 24 horas por dia e operações diversas, que ocorrem de forma estratégica. 

“Cabe ressaltar que, em casos de suspeita ou ocorrência de crime em andamento, a PM também está sempre à disposição quando acionada via (telefone) 190”, disse a corporação por meio de nota.

Como identificar os pesquisadores

A coordenadora de área dos polos de Vitória do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Lorena Rodrigues Negreiros, esclareceu que os dados fornecidos durante a coleta do Censo são protegidos pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e não podem ser oferecidos nem aos órgãos públicos.

Também foi esclarecido que os pesquisadores vão atuar devidamente identificados com colete azul marinho com o nome do IBGE. Além disso, no próprio colete, haverá um crachá com QR Code, onde é possível fazer a verificação. 

Depois da verificação, o morador é direcionado para um site em que há informações completas do recenseador como fotos, nomes e informações adicionais.

“É importante ficar atento aos critérios  de verificação. Vale lembrar que temos um sistema seguro como o Dispositivo Móvel de Coleta (DMC) que atualiza as informações em tempo real. Pedimos também que a população seja verdadeira para que o Censo seja o mais preciso”, explicou Lorena.

A coordenadora explicou que será comum receber visitas dos pesquisadores aos finais de semana ou em horários diferentes, isso porque o Censo tenta atender diferentes públicos com variadas disponibilidades. Caso o morador não esteja disponível na primeira visita, o pesquisador poderá retornar. 

Também é possível confirmar a identidade do entrevistador pelo  atendimento telefônico gratuito do IBGE no número 0800 721 8181.

SAIBA MAIS

Conflitos armados 

- Tiros e medo marcaram a madrugada dos moradores da região do Centro de Vitória, nas últimas semanas.

- Um tiroteio entre criminosos dos morros do Moscoso e do Cabral assustou moradores do entorno. 

- Vídeos registrados mostram os barulhos dos tiros disparados pelas facções rivais durante o confronto. Posteriormente, foi possível ouvir algumas rajadas sendo disparadas. 

Censo 

- No Espírito Santo,  cerca de 3.600 recenseadores estão treinando em 198 salas, para atuar nas pesquisas. 

- O recenseador tem como principal função entrevistar os moradores durante a coleta de dados. 

- Sua jornada de trabalho mínima deve ser de 25 horas semanais.

- No país, 180 mil futuros recenseadores foram convocados pelo IBGE. 

- Os líderes comunitários vão auxiliar as equipes em regiões de conflito ou de intenso tráfico de drogas.

- A meta é entrevistar o maior número possível de pessoas.

- As pesquisas serão feitas em diferentes dias e horários para atender diferentes públicos. 

- Todos os recenseadores irão atuar  bem identificados e com um crachá disponível com um QR Code para verificação do funcionário. 

Fonte: IBGE

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS