X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Rios capixabas estão na mira do garimpo de ouro

Denúncia feita à polícia levou à descoberta de dois garimpos no Estado, sendo um em Guaçuí e outro em Bom Jesus do Norte

Francine Spinassé e Taynara Nascimento, Do Jornal A Tribuna | 05/08/2022 13:37 h

Balsas foram encontradas dando suporte para mergulhadores.
Balsas foram encontradas dando suporte para mergulhadores. |  Foto: Divulgação
 

Os rios capixabas estão na mira de garimpeiros ilegais de ouro de outros estados. Nos últimos três meses, as polícias Militar e Federal identificaram dois garimpos no Sul do Estado. 

O primeiro caso foi identificado em maio deste ano, em uma zona rural de Guaçuí. Dois cariocas de 54 e 69 anos  foram flagrados operando uma balsa com bomba de sucção de motor enquanto um morador do Rio, de 35  anos, realizava o mergulho com compressor de ar  que bombeava o mineral.

Na ocorrência de Guaçuí, a Polícia Militar apreendeu seis tapetes de separação dos minérios. Além disso, também foi possível encontrar  10 peças de roupa de mergulho de borracha, um  canivete, uma bucha de maconha, que estava no bolso  do idoso, além de todo aparato  para extração de ouro.

A segunda ocorrência aconteceu na última terça-feira, em Bom Jesus do Norte, também no Sul do Estado. De acordo com o  delegado de Polícia Federal Arcelino Vieira Damasceno, da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado, dois moradores do Rio de Janeiro, de 37 e 38 anos, foram flagrados também pela Polícia Militar em um acampamento ilegal de extração às margens do rio Itabapoana.

Investigação

“A extração de ouro acontece com frequência no País, mas essa modalidade com mergulhadores  é nova e estamos investigando se há ligação entre as duas ocorrências ou se há ligação com outros estados”, contou.

Já segundo o subtenente da Polícia Militar Jean Carlos Araújo, que esteve em Bom Jesus do Norte,  o mergulhador preso contou que, em média, eles extraíam cerca de 4 a 5 gramas  por dia. Além disso, para cada três horas, o mergulhador ganhava R$ 100. Já o operador da balsa repartia o lucro do outro com o receptador.  

Ainda segundo o militar, a prisão só aconteceu depois que um outro militar da reserva estava pescando e flagrou a ação. “Após a denúncia, fomos ao local e encontramos um acampamento completo montado na região”, contou o subtenente.

Criminosos liberados após prisão

Material apreendido pela polícia
Material apreendido pela polícia |  Foto: Divulgação
 

Os dois cariocas presos na última terça-feira extraindo ouro de forma ilegal em Bom Jesus do Norte foram autuados por extração ilegal de ouro, sem autorização do órgão competente.

Mas segundo o delegado de Polícia Federal Arcelino Vieira Damasceno, da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado, os dois não ficaram presos porque esse tipo de crime tem uma pena baixa. 

Um dos cariocas, inclusive, contou para a polícia que em 2021 foi preso em Minas Gerais cometendo o mesmo crime e que fazia isso para ter uma renda extra, já que poderia faturar até R$ 7 mil.

“Não sabemos a capacidade de produção deste rio, mas o que sabemos é que hoje em dia o ouro é um ativo que tem uma maior rentabilidade para quem explora”, contou o delegado. 

Já o subtenente da Polícia Militar Jean Araújo explicou que, no decorrer dos anos, o local onde a prisão foi feita formou várias represas do rio Itabapoana e tem atraído garimpeiros. 

“Conversando com eles, fomos informados de que haveria uma terceira pessoa envolvida e que seria responsável por receber o material e distribuir, mas ainda não sabemos quem”, contou o militar. 

O caso segue sob investigação na Delegacia de Crimes Ambientais da Polícia Federal de Cachoeiro de Itapemirim. 

ENTENDA

Bom Jesus do Norte

- Na água, a polícia encontrou uma balsa com uma máquina que suga o minério do fundo do rio, enquanto um mergulhador equipado fazia a manutenção do equipamento dentro  do local.

- às margens do rio, os militares encontraram um acampamento totalmente equipado com regiões para banho, pernoite e alimentação. 

- O mergulhador recebia R$ 100 para cada 3h de trabalho, podendo chegar a  mais R$ 7 mil por mês e com até  5 gramas de ouro por dia.

Guaçuí

- O garimpo foi identificado em maio deste ano em uma atuação na zona rural de Guaçuí. 

- Dois cariocas de 54 e 69 anos  foram flagrados  operando  uma balsa com bomba de sucção de motor. 

- Enquanto isso, um morador do Rio de Janeiro, de 35  anos, fazia o mergulho com compressor de ar  que bombeava o mineral.

- Até uma bucha de maconha foi apreendida com um dos detidos da  ocorrência de Guaçuí.

Investigação 

- Os casos seguem em investigação na Polícia Federal. 

- Investigadores estão empenhados em identificar os possíveis compradores do ouro extraído de forma ilegal. 

- Inicialmente o ouro estaria sendo comercializado também sem fiscalização até para outros estados. 

Fonte: Polícias Militar e Federal.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS