Login

Atualize seus dados

Graduandos da Unisales são incentivados a serem protagonistas do seu aprendizado por meio de projetos reais e uso de metodologia adequada
Especial Educação

Habilidades adquiridas na prática

Aluno da Unisales se torna um produtor ativo de conhecimento ao aprender fazendo, por meio da articulação teórico-prática

18/10/2021 00:00:00 min. de leitura

Imagem ilustrativa da imagem Habilidades adquiridas na prática
Graduandos da Unisales são incentivados a serem protagonistas do seu aprendizado por meio de projetos reais e uso de metodologia adequada Foto:
 

Aprender fazendo. Se antes o foco das instituições de ensino superior era só na teoria, hoje também é preciso que o estudante tenha habilidades e competências adquiridas com a prática em sala, projetos, extensão e estágios.

Com 21 anos de tradição no ensino superior, o Centro Universitário Salesiano (Unisales), desde 2019, adotou uma nova proposta de aprendizado: um currículo baseado em competências e que utiliza metodologias ativas de aprendizagem.

Com ela, o aluno se torna um produtor ativo de conhecimento em que se aprende fazendo, por meio da articulação teórico-prática.

“O currículo tradicional quase sempre é baseado em disciplinas. No nosso caso, estamos falando de uma matriz curricular que se estrutura por projetos que visam o desenvolvimento de competências profissionais, planejados a partir do que o Ministério da Educação, conselhos de classe e mercado exigem para cada profissão”, diz o pró-reitor acadêmico Dr. Alexandre Aranzedo.

Segundo Alexandre, os currículos se baseiam na metodologia de aprendizagem significativa, que visa o desenvolvimento de competências que abrangem conhecimentos, habilidades cognitivas e socioemocionais, atitudes e valores.

Ele ainda ressaltou que a instituição é pioneira no Estado nesta metodologia que coloca o aluno, desde o primeiro período, como protagonista do seu aprendizado com experiência em projetos reais.

Entre as experiências estão os projetos de geração de renda para a população mais carente; atendimento na área da saúde, como os serviços de fisioterapia e nutrição, e atendimento psicológicos gratuitos.

“Temos salas de aulas que possibilitam o desenvolvimento de metodologias ativas e práticas colaborativas. Elas são dotadas de carteira e mesas que formam círculos, em que desde o primeiro momento são feitas atividades que exigem do aluno uma interação contínua, trabalho em grupo, liderança e criatividade, as soft skills”, destaca.

Imagem ilustrativa da imagem Habilidades adquiridas na prática
Derik Ramos, aluno do 4º período de Arquitetura e Urbanismo da Unisales, participa do projeto de criação de um ambiente de vivências com jardim sensorial para o Instituto Braille do Espírito Santo Foto:
 

Saiba mais

Unisales

  • O Centro Universitário Salesiano oferta mais de 21 opções de cursos na modalidade presencial, semipresencial e online, como: Administração, Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Psicologia, Engenharias, Nutrição, Fisioterapia e nas áreas da Tecnologia.
  • Inscrições: abertas no unisales.br/vest.
  • Endereço: Av. Vitória, 950, Forte São João – Vitória.
  • Contato: 3331-8500 / Whats.: (27) 9 8123 4566/ [email protected]
  • Desconto: a nota do Enem pode garantir descontos de até 100% durante todo o curso. Além de bolsas para 2ª graduação, alunos da rede pública, católicos e empresas conveniadas.
Imagem ilustrativa da imagem Habilidades adquiridas na prática
Alunos de Nutrição estão desenvolvendo pesquisa sobre Insegurança Alimentar e Nutricional com a população de Vitória Foto:
 

Soluções para a sociedade

A Unisales também contribui com a população do Estado. Os alunos do curso de Nutrição estão desenvolvendo uma pesquisa sobre Insegurança Alimentar e Nutricional com a população do município de Vitória. 

Segundo a coordenadora do curso, a mestre Alessandra Garcia, foi feita uma parceria com a Secretaria de Assistência Social de Vitória, onde um questionário é aplicado nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

“Estamos fazendo essa avaliação, que até agora tem mais de 500 participantes, e foi verificada a situação de insegurança alimentar na população”.

Alessandra contou que levou para os alunos o resultado da pesquisa e eles estão tendo de propor projetos para solucionar o problema e auxiliar as comunidades do Cruzamento, Romão e Forte São João.

“Um grupo fez um projeto de oficina de culinária tratando do tema ‘Aproveitamento integral dos alimentos’, com o uso de cascas, talos e sementes. Já outro fez um projeto com PANC (plantas alimentícias não convencionais)”, explicou.

“Também estão sendo realizadas oficinas para a geração de renda. Ali trabalhamos boas práticas na manipulação de alimentos, receitas saudáveis e chamamos os alunos de Ciências Contábeis para fazer a precificação. Ouvimos a comunidade sobre o que eles querem vender”.

Projeto de jardim sensorial para deficientes visuais

Com foco na inserção no mercado de trabalho de forma altamente qualificada e competitiva, os alunos do Centro Universitário Salesiano recebem demandas reais para desenvolver projetos e propor soluções para esses desafios.

Uma das demandas que chegou ao Núcleo de Inovação e Empreendedorismo (Inova) foi o projeto de um pátio externo com jardim sensorial e ambiente de vivências para o Instituto Braille do Espírito Santo, desenvolvido por estudantes de Arquitetura e Urbanismo.

Os acadêmicos desenvolveram maquetes táteis para transmitir a comunidade do Instituto possíveis propostas e ideias. As melhores soluções serão reunidas em um único projeto que receberá investimentos para seu desenvolvimento.

“No Instituto há uma área externa e eles queriam uma adequação para o lugar com uma praça. Tivemos de criar o projeto, com parquinhos para acolher as crianças, com horta e jardim sensorial e destinamos uma área para serem feitos os eventos”, disse o aluno do 4º período Derik Ramos, de 19 anos.

“A metodologia da Unisales é fundamental para nosso estudo e carreira. Por termos essa experiência prática, conhecemos coisas do mercado de trabalho e de como é a ‘vida real’. Não começamos projetos fictícios, temos projetos que são solicitação de clientes”, completa.

Segundo o pró-reitor acadêmico Alexandre Aranzedo, há projetos em que os alunos buscam demandas nas suas comunidades. “Eles trazem problemas reais e isso se torna seu projeto de extensão, onde colocarão em prática os conhecimentos adquiridos na busca de soluções para desafios do cotidiano”.