X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Entretenimento

The Town será menor, mas seguirá em Interlagos em 2025


Em entrevista nos bastidores do Rock in Rio Lisboa, no sábado, 15, o CEO da Rock World, Luis Justo, apontou uma mudança importante na segunda edição do The Town, prevista para ocorrer em setembro de 2025. Ao contrário do que ocorreu na estreia, em 2023, quando recebeu 100 mil pessoas por dia - foram 5 dias, ao todos - , o festival passará por uma pequena diminuição de público. "Estamos estudando de quanto será essa redução, mas ela ocorrerá", disse Justo.

De acordo com o executivo, isso será necessário para corrigir alguns problemas que ocorreram dentro do Autódromo durante a realização da primeira edição. Um dos pontos de maior tensão nos cinco dias do evento foi a movimentação do público entre os palcos Skyline e The One, que concentravam as principais atrações do festival e foram montadas na mesma região do Autódromo, quase em uma linha reta.

Com shows alternados entre um e outro, o público precisava se deslocar entre os palcos, o que causava um verdadeiro congestionamento humano, com muito empurra-empurra e perigo de pisoteamento ou outros acidentes.

"Com menos gente, a experiência e o conforto serão melhores, principalmente sobre o fluxo entre os palcos. Até porque haviam alguns pontos na planta de reforma do Autódromo que não foram realizadas (pela Prefeitura de São Paulo)", disse Justo. Segundo ele, a redução será anunciada antes da abertura das vendas dos ingressos, ainda sem data prevista. Não haverá mudança no número de dias, 5 no total.

Justo também falou que o entorno do Autódromo, com ruas mais estreitas e a dificuldade de escoamento de público até a estação de metrô mais próxima, mesmo com o horário ampliado de funcionamento do transporte público nos dias do festival, foram outros dois fatores que pesaram para a decisão.

Apesar dos problemas apontados pela própria organização, a vice-presidente da Rock World, Roberta Medina, afirmou, também em entrevista nos bastidores do Rock in Rio Lisboa, para o qual a reportagem do Estadão viajou a convite da produção do evento, que o Autódromo de Interlagos "é a casa do The Town".

Nenhuma atração do The Town foi anunciada até o momento. Nesta segunda-feira, 17, o perfil oficial do festival deu a entender que a cantora Luísa Sonza será uma das convidadas. Ela também está na programação do Rock in Rio Lisboa, onde se apresentará no dia 23 de junho, e do Rock in Rio, no dia 22 de setembro.

Em Lisboa, o Rock in Rio, depois de 20 anos, trocou de local. Saiu do Parque Bela Vista, na Freguesia de Marvila, área localizada na zona oriental da capital portuguesa, para o Parque Tejo, próximo ao aeroporto. O local abrigou a Jornada Mundial da Juventude, em 2023, e gerou controvérsias entre os portugueses pelo valor investido em sua adaptação - o parque foi construído onde antes funcionava um lixão.

Pelo o que a reportagem do Estadão observou, a saída do público do Rock in Rio Lisboa, no sábado e no domingo, 15 e 16, foi tranquila, com um pequeno congestionamento de carros e ônibus nas ruas ao redor do Parque Tejo. A estação de metrô mais próxima fica a três quilômetros de caminhada do local do evento. O público dos dois primeiros dias do Rock in Rio Lisboa 2024 foi de 80 mil pessoas por dia.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: