X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Entretenimento

Steven Spielberg se pronuncia sobre Gaza e denuncia antissemitismo: 'Cada vez mais alarmado'


O cineasta Steven Spielberg demonstrou preocupação com o aumento do antissemitismo no mundo e falou abertamente pela primeira vez sobre o conflito na Faixa de Gaza. "Estou cada vez mais alarmado com a possibilidade de estarmos condenados a repetir a história - a mais uma vez ter de lutar pelo direito de sermos judeus", disse ele, como parte de um discurso realizado na segunda, 25, durante o evento de comemoração dos 30 anos da Shoah Foundation.

A organização foi fundada por Spielberg e tem parceria da Universidade do Sul da Califórnia (USC). Seu objetivo tem sido produção de entrevistas com sobreviventes e testemunhas do Holocausto, com fins educativos.

Em sua fala, o diretor do premiado A Lista de Schindler comentou a situação ente Israel e Palestina. "Diante da brutalidade e da perseguição, sempre fomos um povo resiliente e compassivo que compreende o poder da empatia. Podemos enfurecer-nos contra os atos hediondos cometidos pelos terroristas em 7 de outubro, e também condenar o assassinato de mulheres e crianças inocentes em Gaza", disse Spielberg.

Ele começou seu discurso relembrando memórias da juventude, quando era um dos poucos alunos judeus de sua escola e sentiu na pele como era ser vítima do antissemitismo, "tanto verbal quanto fisicamente, e através de exclusão silenciosa". Celebrando o aniversário da fundação, o diretor ressaltou a importância do projeto, "que é mais crucial agora do que era em 1994", disse.

"Os ecos da história são inconfundíveis no nosso clima atual. A ascensão de visões extremistas criou um ambiente perigoso, e a intolerância radical leva uma sociedade a não mais celebrar as diferenças, mas sim a conspirar para demonizar aqueles que são diferentes, ao ponto de criar 'o Outro'. Isto está acontecendo também na discriminação antimuçulmanos, árabes e Sikh. A criação do 'Outro' e a desumanização de qualquer grupo com base nas suas diferenças é a base do fascismo", acrescentou o diretor.

Durante o evento, o Spielberg recebeu o Medalhão da Universidade da USC, maior honraria oferecida pela instituição, por seu trabalho com os sobreviventes do Holocausto através da Shoah Foundation. A homenagem foi entregue por Celina Biniaz, uma das 1.200 pessoas salvas por Oskar Schindler em 1944 - história retratada por Spielberg no cinema. "Steven, você me devolveu a voz. Graças ao seu filme e à Fundação Shoah, pude confrontar minhas experiências e falar sobre elas", disse.

Horas antes do evento, o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução pedindo um cessar-fogo na Faixa de Gaza, após quatro tentativas fracassadas. Os Estados Unidos se abstiveram na votação, permitindo a aprovação. A resolução foi apoiada por 14 países.

Para entender

Spielberg evitou fazer declarações sobre o conflito. Em dezembro, ele foi citado em uma carta da Shoah Foundation que condenava os ataques do Hamas a Israel em 7 de outubro: "Nunca imaginei que veria uma barbárie tão indescritível contra os judeus durante a minha vida", constava no texto.

Na semana passada, 450 judeus da indústria de Hollywood assinaram uma carta aberta contra o discurso do cineasta britânico Jonathan Glazer no Oscar. Diretor de Zona de Interesse, filme sobre o nazismo, Glazer, que é judeu, condenou o conflito na Faixa de Gaza durante seu discurso de agradecimento pela estatueta de melhor filme internacional. Spielberg não foi um dos assinantes da carta.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: