X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Entretenimento

Produtor de 'Zona de Interesse' rebate discurso de Glazer


Danny Cohen, produtor executivo do filmeZona de Interesse, comentou, em entrevista a um podcast norte-americano, que discordava do discurso de Jonathan Glazer ao receber o Oscar de Melhor Filme Internacional.Zona de Interessevem sendo aclamado pela crítica desde que foi apresentado no Festival de Cannes, no ano passado. O filme, que pode ser visto nos cinemas brasileiros e, a partir do dia 31 no Amazon Prime Video, retrata a vida da família de um oficial de Auschwitz, alheia ao que acontece do outro lado do muro.

Em seu discurso na premiação de domingo, 10, o cineasta retomou o tema do filme, comparando o Holocausto ao conflito em Gaza.

Ele disse: "Todas as nossas escolhas foram feitas para refletir e nos confrontar no presente. Não para dizer 'olhem o que eles fizeram naquela época', mas 'olhem o que fazemos agora'".

E seguiu comentando que o filme mostra como a desumanização leva ao pior cenário. "Estamos aqui como pessoas que refutam que o seu judaísmo e o Holocausto sejam sequestrados por uma ocupação que levou muitas pessoas inocentes ao conflito, sejam os israelenses vítimas do 7 de outubro ou do ataque em Gaza", disse.

Reações

Cohen afirmou que foi procurado por pessoas da comunidade judaica, que não gostaram da comparação. Para o produtor, não se trata, de fato, de uma comparação válida.

"A guerra e a continuação da guerra são de responsabilidade do Hamas, uma organização terrorista genocida que continua a manter e abusar dos reféns, que não usa os seus túneis para proteger os civis inocentes de Gaza, mas para se esconder e permitir que palestinos morram. Penso que a guerra é trágica e terrível, a perda de vidas civis é terrível, mas culpo o Hamas por isso", pontuou Cohen.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: