X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Entretenimento

'Não Nos Calaremos' fala sobre diferentes formas de abuso e é inspirada em histórias reais


A nova série espanhola da Netflix Não Nos Calaremos, lançada na última sexta-feira, 31, lidera a lista das mais assistidas no Brasil, em sua primeira temporada, dividida em oito episódios. O seriado espanhol narra a conturbada decisão da personagem Alma (Nicole Wallace), uma jovem de 17 anos, que denuncia a violência sexual sofrida por sua amiga Grerta (Clara Galle) de um professor do colégio onde estudam, através de publicações em um perfil anônimo. Até o momento em que decide colocar um cartaz em frente à instituição com a frase "Cuidado, aqui se esconde um agressor" (em livre tradução).

A escolha por denunciar o que aconteceu com Greta afeta sua vida na escola, a relação com os pais e amigos. Alma também é vítima de diferentes violências, reveladas através da relação com a família, no abuso de substâncias ilícitas e também seu histórico com a agressão sexual.

Alma Inicialmente se apresenta como uma jovem rebelde, mas o enredo se encarrega de justificar suas atitudes, com a profundidade da complexidade humana, além de mostrar o amadurecimento da personagem em diferentes aspectos, incluindo em suas relações familiares e de amizade.

A complexidade dos personagem não se limita na protagonista, também se estende a personagens secundários, quando um dos seus abusadores -também seu amigo - se arrepende genuinamente do que fez, buscando ajuda profissional. A evolução também é vista nos pais da jovem, que conseguem enxergar seus erros e assumi-los, melhorando a relação da família.

A série foi elogiada pela construção de boas narrativas dos personagens, pela sintonia das amigas interpretadas por Nicole e Clara, e boa atuação do elenco, ficando longe dos clichês das séries adolescentes. Não é à toa que está disputando o número um da lista da Netflix com a queridinha da plataforma, a série Bridgerton.

Inspirada em histórias reais

O nome do perfil usado por Alma para fazer as denúncias, o @Iam_colemanmiller, faz referência às histórias de Daisy Coleman e Chanel Miller.

Daisy foi abusada em uma festa, por um rapaz de 17 anos chamado Matthew Barnett, e foi deixada inconsciente na porta de casa. Ao revelar o caso, Daisy passou a ser alvo de mentiras, perseguição nas redes sociais e ameaças, e as denúncias contra Matthew foram retiradas.

Enquanto Chanel Miller foi abusada sexualmente aos 22 anos por um homem chamado Brock Turner, em 2015. Deixada inconsciente próxima a uma lixeira e sem algumas peças de roupa, ainda assim, Turner foi condenado a apenas seis meses de prisão.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: