X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Karin Hils: Sozinha, sensual e romântica

| 10/02/2020 12:40 h | Atualizado em 10/02/2020, 13:22

"Tudo na vida tem o seu ciclo natural de experimentação e descobertas. Estou em uma página completamente nova em minha carreira, onde falo por mim”
"Tudo na vida tem o seu ciclo natural de experimentação e descobertas. Estou em uma página completamente nova em minha carreira, onde falo por mim” |  Foto: Ariana Lima / Divulgação

A carioca Karin Hils já experimentou de tudo um pouco. Estreou na música como integrante do Rouge há 18 anos, depois fez TV e brilhou nos palcos dos teatros, principalmente em musicais.

Aos 41 anos, ela mostra que sua chama artística ainda está longe de se apagar. A bela acaba de dar um novo passo na carreira ao mostrar seu lado mais romântico e sensual em “Fogo”, seu primeiro single solo. Uma estreia para lá de “quente”, diga-se de passagem.

“É uma música sensual com toque de romantismo. Essa é uma das várias de mim que quero apresentar para o público nesse momento. Além do mais, a introdução do meu trabalho com o título desse elemento vem cercado de simbologia. Fogo é um símbolo sagrado e também uma manifestação de energia divina e transformação”, afirmou ao AT2.

Na canção de pop, black e R&B, que já ganhou clipe, a cantora trabalhou com Pablo Bispo, Ruxell e Sérgio Santos, os produtores musicais do momento, que são responsáveis por hits de Anitta, Iza e Pabllo Vittar.

“Eles conseguem extrair de cada artista o que é a essência deles”, disse.

Karin ainda tem se preparado para dividir com a também atriz e cantora Jeniffer Nascimento, 26, o papel de Rainha do Disco no espetáculo “Donna Summer Musical”, que estreia em março.


ENTREVISTA | Karin Hils, cantora e atriz “Estou me redescobrindo como artista”


AT2 - Depois de tantos anos de carreira, lança sua primeira música solo. Qual é a representatividade que “Fogo” tem nessa trajetória?
Karin Hils - Estou me redescobrindo como artista e me descobrindo como gestora da minha carreira. Isso tem sido incrível! “Fogo” é a primeira música que traduz todo esse processo de ressignificação pelo qual passei ao longo do ano passado. Não poderia haver melhor momento. Hoje estou mais madura e preparada para lidar com tudo. 

Começou a gravar um álbum solo produzido por Rick Bonadio em 2009. Por que não foi lançado?
Não era o momento. Tudo na vida tem o seu ciclo natural de experimentação e descobertas. Agora estou em uma página completamente nova em minha carreira, onde falo por mim mesma e sobre as coisas que acredito. Há um pouco da minha essência em tudo o que estou fazendo. Está sendo muito especial. 

Apagou todas as fotos de seu Instagram para iniciar essa nova etapa. Quer se desvincular de algumas fases de sua vida, como o tempo de Rouge?
De maneira alguma! Tudo o que passei são reflexos de quem sou hoje. Mas, neste momento, estou me reapresentando ao público para compartilhar a minha essência artística, o meu som e quem eu sou. Tenho recebido muito carinho das pessoas e essa troca tem sido especial. 

Como é encarar a carreira solo aos 41 anos de idade?
Minha carreira como cantora sempre existiu, depois vieram os musicais, TV e o teatro. Não estou começando agora a trilhar uma carreira, mas dando continuidade em uma nova esfera. Cada etapa dessa é importantíssima e soma a minha trajetória como artista.

Hoje se sente dona da sua música, desde os versos que canta até o som que produz?
De fato, hoje estou escolhendo tudo o que quero cantar, o que quero fazer, os caminhos a seguir, e no meu tempo. Eu sou uma workaholic assumida.

Mas é claro que nada se faz sozinho nessa vida. Tenho  poucos, mas ótimos parceiros e isso me possibilita gerir essa história da forma que acredito, assumindo responsabilidades e riscos que vêm junto com essa autonomia. 

Está prestes a estrelar o espetáculo “Donna Summer Musical”.
Está sendo um preparo frenético e muito intenso. São horas de ensaio que continuam em todos os demais momentos do meu dia. Viver a Donna é um presente, pois sempre a admirei e escutei muito!

É uma honra interpretar e contar a história de uma artista fantástica e que queria ser vista muito além do rótulo de Rainha do Disco. Me identifico com sua jornada e me emociono a cada nova descoberta. 



Letra - “Fogo”
Karin Hils, Pablo Bispo, Ruxell, Sérgio Santos e Douglas Campos

Ao pé do ouvido, falo o que quiser
Fogo ardente, paixão
Bate meu coração e pulsa
Se quer um cafuné, amar até
O nosso corpo cansar
Ver o dia raiar
Em nós dois
Amando intensamente sem deixar pra depois
Com roupa, tira a roupa, sem tabu, sem pudor
Sexo não, melhor fazer amor!
Na minha cama
A gente inflama
Você me chama
Pegando fogo, fogo
Num clima quente
Meu corpo acende
Você me sente
Pegando fogo, fogo
Pele, pele, boca, boca, eu fico louca
Tira a minha roupa, chega e vem mais
Descendo lentamente
Pele, pele, boca, boca, fico louca
Tira a minha roupa, chega e vem mais
Descendo lentamente
Em nós dois
Amando intensamente sem deixar pra depois
Com roupa, tira a roupa, sem tabu, sem pudor
Sexo não, melhor fazer amor!

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS