X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Entretenimento

Johnny Marr se irrita com música dos Smiths tocada em comício de Donald Trump


O ex-guitarrista dos The Smiths, Jonny Marr, não gostou nada de ver uma música de sua banda tocando em comícios de Donald Trump. Ele teve acesso a um vídeo no X, antigo Twitter, que mostrava Please, Please, Please Let Me Get What I Want sendo tocada em um evento do ex-Presidente na Dakota do Sul, em agosto de 2023. O músico exigiu que a música não fosse mais tocada pela campanha de Trump.

"Nunca, em um milhão de anos, teria pensado que isso poderia acontecer. Considere essa m*** encerrada agora mesmo", escreveu na terça, 23, em seu perfil na rede social.

Um outro usuário da rede afirmou que a faixa foi executada em um comício mais recente, no dia 22 de janeiro, no estado de Indiana.

Please, Please Let Me Get What I Want, lado B do single William, It Was Really Nothing, de 1984, é uma súplica sobre conseguir o que se quer. Nos comícios, a canção vem sendo tocada enquanto o público espera o político subir ao palco, com destaque para o trecho "good time for a change" ("um bom momento para mudança", em tradução literal).

Morrissey, vocalista da banda que compôs a canção junto com Marr, não se pronunciou sobre o caso. O músico viria ao Brasil no ano passado, mas adiou as apresentações após ser diagnosticado com dengue no México. Os shows foram remarcados para fevereiro, em São Paulo e Brasília.

Marr não é o único músico que repudiou o fato de sua obra ser usada em apoio a Trump. Artistas como Bruce Springsteen, Aerosmith, Adele, Elton John, Guns n' Roses, Rihanna e Rolling Stones também já se irritaram com o uso de suas músicas pela campanha do Republicano.

No Brasil, um movimento semelhante aconteceu: o filho de Renato Russo, Giuliano Manfredini, pediu extrajudicialmente para que o TikTok derrube vídeos a favor de Bolsonaro que usem as músicas da banda. A faixa Que País É Esse vem sendo incluída em vídeos pró-Bolsonaro na rede social.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: