Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

“Fui traída em todos os meus relacionamentos”, diz atriz de Malhação

| 29/01/2020 11:47 h | Atualizado em 29/01/2020, 12:23

Jade Cardozo: Jade: “Eu penso que nunca é um erro dar o seu melhor para uma pessoa”.
Jade Cardozo: Jade: “Eu penso que nunca é um erro dar o seu melhor para uma pessoa”. |  Foto: Divulgação/TV Globo
“Fui traída em todos os meus relacionamentos. Então, me coloco no lugar da amiguinha, porque não dá. Tem tanto cara por aí...”, afirma a atriz carioca Jade Cardozo, de 23 anos.

Por ironia do destino, ela está vivendo a vilã destruidora de relacionamentos Leila, de “Malhação - Toda Forma de Amar”. É o terror do casal Filipe (Pedro Novaes) e Rita (Alanis Guillen) e vem sendo odiada pelo público.

É a arte imitando a vida, só que às avessas. Justamente pelo fato de já ter sentido na pele o que é ser traída, Jade garante que jamais investiria em alguém comprometido e esse papo de ser “a outra” fica para a ficção.

“Eu já passei por isso, já fui a Rita”, contou ao Gshow. Aliás, na novela, a Leila também provou o gostinho de ser traída, quando Filipe não resistiu aos encantos da ex.

Pausa

A bela, que ama praia e curte ficar em casa cozinhando, diz que, no momento, não quer saber de namorado.

Mas dá para continuar confiando nas pessoas ou, após tantas experiências negativas, é melhor ficar com o pé atrás?

“Eu penso que nunca é um erro dar o seu melhor para uma pessoa, e o que ela te dá em troca diz mais sobre ela do que sobre você”, ressaltou Jade Cardozo em entrevista ao AT2.

E dá para perdoar uma traição? “Se as duas pessoas estiverem dispostas a passar por cima disso e se derem uma nova chance, dá sim”, assegura a bela carioca.

“Tem sido um desafio diário”

AT2 A Leila é sua primeira personagem na TV. Como tem sido?
Jade Cardozo É uma nova linguagem. Eu nunca tinha pisado num set com uma estrutura parecida antes. Precisei de um certo tempo até conseguir usar o nervosismo a meu favor.

Como é ser uma vilã? Uma destruidora de relacionamentos?
O público tem sido expressivo. Eu não esperava que fosse ter tanto retorno assim. Ainda acho inusitado, mas me divirto.

Toda personagem tem sua dificuldade, viver na pele de outra pessoa é uma tarefa delicada. Com a Leila, eu acabei vivendo sentimentos e situações muito distantes da minha realidade, o que acaba tornando mais difícil na hora de defender.

Estrear com uma personagem assim tem sido um desafio diário. A Leila me ensina a superar meus próprios limites, e eu aprendo a cada cena.

E atuar em “Malhação” traz uma responsabilidade diferente?
Eu sou muito feliz por estar começando na TV por “Malhação”. O ritmo de trabalho é acelerado, é um elenco cheio de gente nova, que descobre muita coisa junto. É muito louco fazer parte de um produto que você vê desde criança. A responsabilidade é grande e o aprendizado, maior ainda.

Você já era fã da trama?
Eu assisti a várias temporadas e adorava. Inclusive, uma das que mais acompanhei foi a de 2007, que era protagonizada pelo Rômulo, que hoje é meu parceiro de cena.

Agora que começou, o que espera este ano?
Continuar no teatro. Vou estrear a peça “Se”, com meu amigo, ator, diretor e roteirista Daniel Ratto. Ela fala de amor, em tempos nada fáceis.

A televisão foi um presente, que eu pretendo continuar aproveitando. Me reinventar, estudar e trabalhar é o que eu tenho feito até aqui.

Arte é resistência e, em 2020, meu plano é continuar resistindo.

O que ela diz

“Sou odiada!”
Para Jade Cardozo, o maior desafio do papel é experimentar toda a ambição, cobiça e inveja da personagem Leila, além de tentar entender, para não julgar.

“A Leila vem para acabar com o rolê. Mas a intenção da personagem é essa mesmo, é pra causar esse rebuliço no público e na novela. Então, eu estou levando na esportiva. Tá sendo interessante. Já estou aprendendo, mas sou odiada!”, contou, aos risos, em entrevista ao GShow.

Nada de namorado!

Focada na carreira, a atriz garante que ficar solteira é a opção. “Já tenho preguiça de homens até solteiros ultimamente. Então assim, namorando, não rola”, completou.

Refúgio com a mãe

Quando não está no trabalho, Jade investe em coisas simples. “Boto música, cozinho, gosto de coisas de casa mesmo. E aí, quando tenho pelo menos dois ou três dias salvos, volto pra Maricá, para a casa da minha mãe. Lá é meu refúgio, até respiro diferente”, salientou ao GShow.

Teatro desde os 8 anos

Jade Cardozo atua no teatro desde os 8 anos e também já trabalhou nos bastidores, em contrarregragem, em produção de peças de teatro e eventos.
 

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS