Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Justiça acata denúncia de estupro contra Prior e marca julgamento para 2021

| 01/10/2020 15:03 h | Atualizado em 01/10/2020, 15:19

Imagem ilustrativa da imagem Justiça acata denúncia de estupro contra Prior e marca julgamento para 2021

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) acatou uma acusação de estupro contra o arquiteto e ex-BBB Felipe Antoniazzi Prior e determinou que a audiência de instrução e julgamento do caso ocorra em 10 de maio de 2021.

O ex-participante do reality show da TV Globo é alvo de duas denúncias de prática de estupro e uma de tentativa de estupro. Os casos foram revelados em abril deste ano pela revista Marie Claire.

"Verifico que as provas que instruem a denúncia demonstram a materialidade do crime e suficientes indícios a atribuir autoria. Não é caso de rejeição liminar, portanto, recebo a denúncia", afirma o juiz Luiz Guilherme Angeli Feichtenberger em sua decisão.

Os relatos dão conta de crimes praticados nos anos de 2014, 2016 e 2018 -os dois mais recentes teriam ocorrido durante jogos universitários promovidos por faculdades de arquitetura e urbanismo de São Paulo.

Nenhuma das vítimas registrou boletim de ocorrência à época dos acontecimentos por medo. Felipe Prior nega todas as acusações.

Em agosto deste ano, a 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo concluiu o inquérito policial do caso e pediu seu arquivamento. O Ministério Público de São Paulo, no entanto, optou por apresentar denúncia naquele mesmo mês.

O relatório policial final, assinado pela delegada Maria Valéria Pereira Novaes de Paula Santos, pontuava que o exame de corpo de delito de uma das vítimas identificou "uma laceração de primeiro grau no lábio esquerdo da vagina", mas que a lesão poderia "ocorrer em acidentes, durante os partos, inclusive uma relação sexual mais intensa".

Em julho deste ano, após a exposição dos casos, uma quarta suposta vítima procurou a delegacia para prestar depoimento, mas seu relato nem sequer foi considerado pelo relatório policial.

Nas redes sociais, Prior se manifestou sobre o caso afirmando ser inocente e que jamais cometeu violência sexual. "O que me deixa mais chateado é saber que depois que eu entrei na casa [Big Brother Brasil] as pessoas apresentaram uma denúncia pesada contra mim. Os meus advogados estão tomando todas as providências", disse.

A defesa das vítimas é feita pelas advogadas Juliana de Almeida Valente e Maíra Machado Frota Pinheiro.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS