X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

José de Abreu sobre Regina Duarte: "Quem apoia miliciano, nem humano é"

| 04/02/2020 17:03 h | Atualizado em 04/02/2020, 17:18

Imagem ilustrativa da imagem José de Abreu sobre Regina Duarte: "Quem apoia miliciano, nem humano é"

O ator José de Abreu está sendo acusado de ser machista e misógino, após publicar várias postagens contra a atriz Regina Duarte. A atriz aceitou, recentemente, o convite do presidente Jair Bolsonaro para ser secretária Especial da Cultura.

O ator chegou a afirmar, em sua conta no twitter, que iria "desmascarar" Regina. “Lembra de quantos gays lhe tiraram rugas? Coloriram seus cabelos brancos? Criaram figurinos para esconder suas banhas?”, escreveu.

Em um áudio encaminhado à colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, José de Abreu afirma que recebeu o apoio de várias mulheres em sua conta na rede social, apesar das críticas vindas tanto dos movimentos de esquerda quanto dos movimentos de direita.

“Não existe sexo [homem ou mulher]. Quem apoia miliciano, homofóbico, torturador, pra mim nem humano é”, disse o ator à Folha. “Não dá para respeitar quem apoia o Bolsonaro. Eu não tenho o menor respeito”, afirmou.

“Aquilo que eu postei, que [maquiadores e cabeleireiros] tiraram as rugas, os cabelos brancos, que costureiros fizeram roupas para esconder as banhas [de Regina Duarte] não é uma criação minha. As pessoas me ligam apavoradas, entendeu? Como é que pode uma atriz participar de um governo desses? É um negócio de louco. Ela diz que recebeu um chamado divino. Porra, é contra índio… ah, não dá. Desculpa. Mas é muito difícil”, justificou o ator.

“Eu repliquei [as afirmações sobre rugas, cabelos brancos e banha]. Quem falou isso foi uma mulher, lésbica, da TV Globo. Isso não é minha criatividade”, argumentou.

“E veja quantas mulher me apoiam no Twitter. Fascista não tem sexo. Simone de Beauvoir falava 'tornar-se mulher'. Vagina não transforma uma mulher em um ser humano. Assim como o pênis não me transforma em um machista misógino”, comentou.

“Sou, talvez, sim, machista, misógino, por uma educação [que recebi], pela sociedade. Mas a cada dia eu tento 'mulherar'. A cada dia eu sou menos machista, menos misógino. E tenho certeza disso”, disse Abreu em outro parte do áudio.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS