X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

'Intolerável', diz presidente de Portugal após racismo contra filhos de Ewbank

O caso de racismo aconteceu no restaurante Clássico Beach Club, na Costa da Caparica, em Portugal

Agência Folhapress | 01/08/2022 17:39 h

O racismo sofrido pelos filhos do casal Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank em um clube de praia em Portugal fez com que o presidente do país europeu, Marcelo Rebelo de Sousa, emitisse uma nota condenando esse tipo de ato. O texto diz que "qualquer comportamento racista ou xenófobo é condenável e intolerável, e deve ser devidamente punido".

"Não vale a pena negar que há, infelizmente, setores racistas e xenófobos entre nós", diz o político, que, no entanto, diz acreditar que se trata de uma minoria que não representa a sociedade portuguesa como um todo.

No texto, ele afirma que os portugueses são um povo "respeitador dos direitos fundamentais e da dignidade da pessoa humana". "O mesmo se dirá, especificamente, quanto às comunidades dos países irmãos de língua portuguesa, que têm vindo a aumentar a sua presença entre nós e são motivo de gratidão e de orgulho para Portugal", acrescenta.

"A sociedade portuguesa é constituída por pessoas das mais variadas origens, que aqui chegaram há poucos ou há muitos anos, alguns há séculos, aqui vivem, trabalham, constituem as suas famílias: não há 'portugueses puros', somos todos descendentes de culturas, civilizações e origens muito diversas", afirma.

"Somos todos transmigrantes, todos temos familiares e amigos que vivem ou viveram fora do quadro geográfico físico de um país; tal como tantos que aqui encontram uma melhor vida", continua. "E todos somos Portugal."

A nota foi publicada no site oficial da Presidência da República Portuguesa nesta segunda-feira (1º) e não cita nominalmente os artistas brasileiros. Porém, Rebelo de Sousa chegou a falar diretamente sobre o caso em entrevista.

"Todo ato de racismo ou xenofobia é condenável e intolerável", comentou ao jornal O Globo, também nesta segunda-feira. "Isso é o básico em uma democracia. É inadmissível."

Ele ainda elogiou a atitude do ator brasileiro, que chamou a polícia. "Evidente que se a pessoa ofendida acha que houve atuação inconstitucional, é assim que funciona o estado democrático", disse. "E a polícia fez o que devia fazer. Para investigar se há uma atuação criminosa, a função da autoridade é garantir a apuração do fato para saber se houve violação da lei."

O caso de racismo aconteceu no restaurante Clássico Beach Club, na Costa da Caparica, em Portugal, no último sábado (30). Giovanna e Bruno estavam no local com seus filhos, que brincavam na praia, e perceberam o que havia acontecido quando uma das crianças contou o episódio.

Bruno diz que viu o gerente pedindo para uma mulher ir embora, e então o casal a ouviu se negando a ir embora e falando ofensas raciais, como "pretos imundos", "voltem para África", "voltem para o Brasil" e "Portugal não é lugar para vocês". O ator imediatamente chamou a polícia, enquanto Giovanna gritava com a mulher.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS