X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Entretenimento

Diretor estreia no cinema brasileiro duas comédias no mesmo dia


Aqueles que conhecem os meandros do cenário de distribuição de filmes brasileiros sabem que não é fácil colocar um filme em cartaz - exige planejamento, investimentos, parcerias. É, assim, bastante impressionante que o diretor Hsu Chien tenha lançado dois filmes nos cinemas em um só dia: Morando com o Crush e De Repente, Miss! chegaram às telas no mesmo 23 de maio de 2024.

São duas comédias, com a cara de Chien, mas diferentes entre si. Com humor escrachado, De Repente, Miss! coloca Fabiana Karla em um concurso de miss em um resort - mais um filme de viagem no cinema nacional, após Férias Trocadas, Partiu, América! e Dois É Demais em Orlando. Obviamente, tudo de inesperado acontece.

Morando com o Crush é uma agradável surpresa na carreira de Hsu: tão acostumado com esse humor desaforado, ele segura uma comédia para tratar de dois adolescentes (Giulia Benite e Vitor Figueiredo), apaixonados um pelo outro, que moram na mesma casa quando o pai dela e a mãe dele resolvem se casar.

Em comum entre os filmes, além de Hsu, é a presença de Giulia: a atriz, que ficou conhecida por Turma da Mônica: Laços, faz a filha de Fabiana Karla em um e é a protagonista de outro - é o terceiro longa dela em 2024, após o simpático Chama a Bebel. É, também, o terceiro trabalho de Hsu, que acabou de lançar a comédia Licença para Enlouquecer.

"Todo mundo acha que eu e a Giulia estamos bombando, fazendo um filme atrás do outro, mas não é bem assim. Por conta da pandemia, os filmes se acumularam. Como tem muita coisa para lançar, a situação é essa. Quando soube, achei uma loucura. Mas, agora, aceitei. Já vou para a brincadeira de Barbenheimer, falando para fazer sessão De Repente Crush e Morando com a Miss", brinca Hsu, ao Estadão, embaralhando os títulos de seus filmes e se referindo ao sucesso da estreia simultânea de Oppenheimer e Barbie.

Hsu, porém, reconhece que a situação do cinema nacional ainda não voltou aos patamares de antes da pandemia. Também entende que essa estratégia de lançamento é, no mínimo, arriscada. "Sei que está difícil para o público", diz. "Tivemos o sucesso de Os Farofeiros 2 e Minha Irmã e Eu, mas a maioria dos filmes deu uma patinada."

Em cartaz com os dois filmes, Giulia Benite foi a atriz que melhor se saiu após a mudança de elenco de Turma da Mônica: participou do trabalho de voz na animação Perlimps, está nesses dois longas de Hsu e, também, é a protagonista do novo filme de Joana Nin (Proibido Nascer no Paraíso), sobre uma jovem que busca justiça após um linchamento público.

"São projetos que foram se arrastando, acumulando as estreias. Até pouco tempo atrás, nem tinha data para estrear", diz ela, sobre os três filmes lançados em 2024. "Ficou tudo uma loucura, tudo muito inesperado. Mas temos de olhar para esse lado positivo."

Mas não é só o lançamento duplo que marcou Giulia Benite: prestes a completar 16 anos, ela fez sua primeira cena de beijo em Morando com o Crush, com o par romântico Vitor Figueiredo.

Beijo

Hsu contou para ela desde o começo, quando entregou o roteiro, essa ideia de um beijo - aprovada pela mãe de Giulia. Mas ela, nervosa com essa sua primeira experiência, resolveu só lembrar que teria o beijo no dia de filmagem.

"Nós estávamos nervosos, mas deu tudo certo. No início, eu tentava não pensar muito. Sabia que ficaria nervosa. Mas, quando estava chegando perto, comecei a conversar com a minha mãe. Foi ela que me disse que eu estava fazendo cinema e que a produção está acostumada com isso", conta ela. "Aí percebi que estava tudo bem e tudo ficou mais tranquilo."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: