X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Entretenimento

Conheça a história curiosa do álbum mais valioso do mundo, que terá rara audição em museu


Se é para ser contra a pirataria, o grupo de rap Wu-Tang Clan dá aulas: o álbum Once Upon a Time in Shaolin, gravado entre 2006 e 2013, possui apenas uma cópia física e não está disponível em nenhuma outra plataforma, além de ter todas as "masters" (versões finais das músicas) deletadas.

A única vez em que um trecho de 13 minutos da obra do grupo de rap foi ouvido ocorreu em 2015, no MoMa de Nova York, para um total de 150 críticos da arte e da música, além de possíveis compradores.

O disco, produzido em segredo pelo grupo nova-iorquino entre os anos de 2006 e 2013, foi comprado em leilão por 2 milhões de dólares (R$ 10,3 milhões na cotação atual), pelo empresário da indústria farmacêutica Martin Shrkeli, e não poderá ser explorado comercialmente até 2103, de acordo com o contrato da venda. A compra tornou Once Upon a Time in Shaolin o álbum mais caro e raro da história.

Entretanto, após Martin Shrkeli, que também é conhecido como o "empresário mais odiado do mundo", tentar vender o álbum pelo eBay em 2017, um dos membros do grupo, RZA, expressou seu descontentamento: "Eu não gostei da ideia de colocar [o álbum] no eBay. Ele poderia ter ganhado mais do que pagou". A venda nunca foi completada.

Em 2018, Shrkeli foi indiciado por fraudes, entre outros crimes financeiros, e teve seus bens confiscados. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos, em posse do álbum como parte dos bens de Shrkeli, vendeu a obra por 4 milhões de dólares (cerca de R$ 20,6 milhões) para a PleasrDAO, empresa de NFTs que hoje é dona do disco.

Para quem quiser matar a curiosidade e ouvir a obra de Wu-Tang Clan, basta viajar até a Tasmânia dentro do próximo mês, onde o álbum será tocado em uma "listening party" (evento em que os convidados podem ouvir músicas dentro do museu) durante a exposição Namedropping para os poucos ouvintes que conseguirem os ingressos, disponíveis gratuitamente no dia 30 de maio. As audições do álbum ocorrerão entre 15 e 24 de junho, no museu Mona, em Hobart, Tasmânia.

"O item final da 'bucket list' do Wu-Tang Clan e, provavelmente, a única chance que você terá de ouvi-lo", disse o museu sobre o álbum, em postagem da compra de ingressos da "listening party".

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: