search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Em comum
Martha Medeiros
Martha Medeiros

Martha Medeiros


Em comum

Em comum

O que você tem em comum com os indonésios que sobreviveram ao tsunami naquele trágico janeiro de 2004? O mesmo que eles têm com os capoeiristas da Bahia e também com a família do Joaquin Phoenix: todos estão em casa, esperando a pandemia passar. Você nunca imaginou que sentiria um tédio igual ao dos pilotos de Fórmula 1, das modelos que saem na capa da Vogue, dos surfistas de ondas gigantes. Você e todos eles estão, neste momento, vivendo situação idêntica: lavam as mãos de meia em meia hora.

Os mangueirenses que desfilaram juntos no Sambódromo não tocam mais uns nos outros. O pessoal do Jota Quest, que canta “Dentro de um abraço”, não tem abraçado ninguém.
Sua mãe está longe, sozinha no apartamento dela, e no andar de baixo está o pai daquele seu colega que era apenas mais um na lista de chamada, vocês nunca mais se viram, mas hoje ele está tão preocupado com os idosos dele quanto você está com os seus.

Angelina Jolie deve estar compartilhando, por WhatsApp, piadinhas sobre a longevidade de Keith Richards. E Jane Fonda está recebendo as compras do super por tele-entrega. É isso aí, garotas, estamos juntas.

Nunca estivemos tão próximos de quem está tiritando de frio num hemisfério e se abanando de calor em outro.
Os operários que estavam reconstruindo a Notre Dame, os bombeiros que ainda buscavam corpos de vítimas soterradas em Brumadinho, as duas moças que gostam do mesmo rapaz, os dois estudantes que disputam a mesma vaga no vestibular – vida em suspenso. Só do que falam é sobre o coronavírus, é só no que pensam também.

Neste instante, os camelôs, os empresários, as prostitutas, as beatas, as dondocas e as manicures espiam a rua por trás de suas janelas. O baterista da sua banda preferida, o cara que acabou de cumprir pena e foi libertado, as crianças que nunca imaginaram sentir saudade da escola, palestinos, guias de turismo, psicanalistas, os que amam mocotó e os que detestam salada – todos do mesmo lado. O lado de dentro.

Você, eu, Bradley Cooper e Lady Gaga: quem de nós quatro está garantido? Budistas, terroristas, flautistas: qualquer um pode se contaminar. Sete bilhões entoando o mesmo refrão: fique em casa, fique em casa.
Recolha-se, resguarde-se e permita que o planeta volte a respirar sem tanta poluição e sem tanta interferência humana. É guerra, mas a paz pode tirar proveito.

Nunca imaginamos ter tanto em comum com quem se hospeda no George V, com quem sofre de asma, com artistas africanos, com lavadores de carro, com os que viajam na classe executiva: quando a distância física entre nós não for mais necessária, que a gente lembre que fomos todos parceiros de uma mesma luta e que considerar-se superior ou inferior aos outros sempre foi uma tremenda perda de tempo.
 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Martha Medeiros

Assim como nós perdoamos

Você perdoaria uma traição amorosa? Perdoaria uma demissão injusta? Perdoaria um amigo que te insultou? Foram algumas das perguntas que me fizeram num recente programa que tinha o perdão como o tema. …


Exclusivo
Martha Medeiros

In natura

Fique em casa, fique em casa. Alguém acha que isso não interfere na nossa respiração? Tem muita gente sentindo falta de ar sem ter sido contaminada pela Covid. Eu mesma, outro dia, acordei no meio da …


Exclusivo
Martha Medeiros

Inalterável gerúndio

Saudades do particípio. De quando uma etapa era vencida. Uma crise, superada. A coisa acontecida. Agora é esta estrada que não acaba, este mistério que se alonga. Tudo se arrastando como um rio no …


Exclusivo
Martha Medeiros

Obrigada aos meus dias ruins

Se mordomia fosse mais importante para mim do que liberdade, teria morado na casa dos meus pais até casar. Se depois de 17 anos de casados, eu e meu marido não tivéssemos reavaliado nossa escolha e …


Exclusivo
Martha Medeiros

Sublinhados

Eu não parava de elogiar o livro. Afirmei que havia sido uma de minhas leituras mais desconcertantes, que vários trechos haviam mexido demais comigo, e minha amiga ali, de boca aberta, testemunhando …


Exclusivo
Martha Medeiros

E se não passar?

Estamos há quase quatro meses mergulhados numa pandemia que mudou nossos hábitos, nos impôs restrições, nos distanciou fisicamente e nos colocou frente a frente com nossas fragilidades. Vai ficar por …


Exclusivo
Martha Medeiros

Live

Tecnologia não é meu forte. Além da inaptidão, tem muita preguiça envolvida. Nada sei sobre cabos, operadoras e filtros. Nem mesmo sei de onde vem e quem paga a internet aqui de casa (desconfio que …


Exclusivo
Martha Medeiros

Levemente pirados

Continuamos dentro de nossas casas, vivendo entre quatro paredes – espaço que costuma ser amplo para alguns afortunados, porém exíguo para a maioria dos brasileiros e suas novas rotinas. Os que …


Exclusivo
Martha Medeiros

Você não pode ter sempre o que quer

A quarentena surpreendeu a todos. Havíamos recém- entrado em março, quando 2020 começaria para valer, mas em vez de dar início ao cumprimento das resoluções de fim de ano, fomos condenados à prisão …


Exclusivo
Martha Medeiros

Vida em seu sentido original

Não há como não se sentir angustiado assistindo a Você não estava aqui, filme de Ken Loach, o mesmo diretor do multipremiado Eu, Daniel Blake, que tratava sobre o isolamento de idosos que não …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados