search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Eliminar para iluminar
Claudia Matarazzo
Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo


Eliminar para iluminar

A frase é da jornalista da Lilian Pacce e foi dita em uma fala sua ao se referir ao desapego. Nessa pandemia, percebemos que é muito, muito mais importante SER do que TER.

Ser saudável, ser solidário, ser feliz, ser produtivo, ser útil, ser acompanhado, ser apoiado, ser inteiro, ser independente...não há limite para o “ser”.

Mas, por muito tempo, a humanidade pensou que, se conseguisse ter tudo o que achasse necessário para o seu bem-estar, ficaria segura. Imenso engano, como pudemos atestar.

Fomos lançados em um mar de consumo desenfreado para, de repente, perceber que, mesmo com um closet abarrotado de todos os possíveis desejos, estamos vulneráveis a um inimigo invisível.

Bem-vindos à “era líquida”, onde, não mais “ter” e, sim, “ser” torna-se essencial.

Daí, ser interessante o conceito de eliminar para iluminar: vivemos um momento de trevas, portanto, quanto mais luz, mais rapidamente sairemos dessa. E repare como esse conceito pode ser aplicado a tudo:

Eliminar roupas para iluminar o estilo – Quanto menos você tiver em seu guarda-roupa, melhor enxergará o que realmente importa.

Como a tendência é guardar apenas aquilo que nos é caro ou de muita qualidade, se conseguir eliminar tudo o que não usou, o que é velho, e o que ganhou, mas não gostou – já terá definido, em parte, seu estilo.

Eliminar rancores para iluminar afetos – Sentir raiva consome uma enorme energia, ainda por cima, ruim.

Procurar digerir o motivo daquilo e guardar em um escaninho da alma, sem chance de trazer à tona sem motivo, ajuda muito mais que imagina.

A raiva contamina o momento, o dia, a vida e quem está por perto. Não estou dizendo para esquecer, apenas para eliminar da superfície do seu dia a dia, onde, fatalmente, o sentimento fará você tropeçar, atrapalhando sua caminhada.

Eliminar excessos para iluminar a direção – Excessos de tudo: de sentimentos, de objetos de agendas indesejáveis, de amigos tóxicos.

Cada um tem a sua maneira de eliminar, mas identifique o que é o excesso: tudo (e todos ) que não lhe serviu ou não lhe serve e nem agrada pode ser um bom critério.

Eliminar a polêmica para iluminar a solução – Chega de polemizar. Guarde sua opinião e vai ver que o fato de não se impor tanto não vai fazer tanta diferença. Em vez de falar, aja.
Siga na sua direção com foco e sem se abalar. Você chegará mais rápido onde quer chegar sem tanto ruído e gasto de energia.

Eliminar o preconceito para iluminar a interação – A pandemia nos mostrou que juntos somos muito mais fortes. TODOS juntos, então!

Esse é um bom momento para identificar os nossos preconceitos, nossas reservas quanto a isso ou aquilo – e dar uma chance para uma melhor e maior interação com pessoas e práticas diferentes.
Não, necessariamente, aderindo a tudo, mas respeitando e compreendendo de verdade. Pode ser libertador. Experimente!

Faça uma lista do que pode eliminar – e passe à ação. Neste delicado momento, toda chama é necessária!
 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Mais de 100 mil mortes por Covid-19 – desculpa, aí!

O Presidente inominável vive a pedir desculpas: diariamente, é obrigado (provavelmente, aconselhado fortemente por algum assecla) a vir à frente das câmeras, sempre ao lado de sua claque de apoiadore…


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Um futuro nem tão ambicioso

Vamos falar do futuro. O futuro que, agora percebemos, foi subitamente sabotado – e está, neste exato momento, sendo repensado, ressignificado, reinventado, e uma porção de outros “res” que nos …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Lições da pandemia

Não vamos falar da finitude, de nossos medos, nem da angústia de ver nossas vidas em risco graças ao total despreparo, da boçalidade e pura teimosia dos titulares de nosso “desgoverno” – que poderiam …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

De meditação a sexo nas lives

Você entraria em uma web suruba? Pagaria para entrar? Confiaria no anonimato da organização? Se ficou perplexo com a possibilidade, saiba que não está sozinho. Mas não apenas as web surubas …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Novo momento, novos horários

Vivemos um novo momento trazido pela pandemia de Covid-19: home office, cursos a distância e reuniões agora fazem parte do nosso dia a dia. Se em casa economizamos preciosas duas horas por dia (que …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Líder pós-pandemia

É fato: o mundo que conhecemos ficou para trás, em todos os sentidos. Não existe nada de normal no futuro próximo, mas muito de “novo”. Porém, “novo normal”? Não aguento mais ouvir essa bobagem. …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

O que é etiqueta preventiva?

É a nova etiqueta. E se baseia, como na etiqueta tradicional, nos pilares do bom senso e afetividade, acrescentando um fator essencial nesse momento de delicada transição: a biossegurança. Isso …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Desabafo de madame

Passei grande parte da minha vida justificando o rótulo de “madame”, maldosamente aplicado a minha pessoa desde a faculdade de Jornalismo. Na ocasião, nos anos 1970, em plena abertura da ditadura e …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Para fazer diferença com cliente

Atendimento e fidelização – Hoje, palavras-chave para quem quer se diferenciar, principalmente na atividade de atendimento de alimentos e bebidas delivery –, uma das poucas que se manteve, mesmo …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Lute, se cuide e fique bem!

Vidas não se contabilizam, se preservam! A frase, da senadora Mara Gabrilli, merece reflexão mais profunda: neste momento, vemos um enorme afã em se contar mortes – ou vidas que se apagaram. Ou …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados