Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

TRE barra dois candidatos na disputa eleitoral

| 06/10/2020 12:29 h | Atualizado em 06/10/2020, 12:45

Fachada do TRE:  irregularidades no repasse de verbas     às siglas é um dos problemas, segundo o tribunal
Fachada do TRE: irregularidades no repasse de verbas às siglas é um dos problemas, segundo o tribunal |  Foto: Dayana Souza / AT - 28/08/2018

O Estado já conta com suas primeiras candidaturas indeferidas (negadas) pela Justiça Eleitoral para a eleição municipal no próximo dia 15. São dois candidatos de Cachoeiro: Jovelino Schiavo e Eleaci Gullo, ambos do PRTB. O primeiro era pretendente à prefeitura e a segunda para a câmara de vereadores.

Os indeferimentos já constam no site destinado a divulgação de candidaturas, o DivulgaCand, do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES).

“Candidato que não reuniu as condições necessárias para o deferimento do registro de candidatura ou que está vinculado a Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP) indeferido, com pedido já julgado pela Justiça Eleitoral”, descreve o TRE sobre indeferimento de Jovelino, condenado por abuso de poder político em decisão transitada em julgado em 2016.

Naquele ano, segundo a sentença, ele teria utilizado veículo de comunicação social para tentar desequilibrar pleito em favor de uma candidata em Castelo. Já Eleaci o DivulgaCand descreve “como ausência de requisito de registro”. A reportagem tentou o contato com PRTB de Cachoeiro, mas não obteve sucesso.

Dados do TRE-ES demonstram que das 12.421 candidaturas registradas, 36 já foram avaliados pela Justiça Eleitoral de seus municípios e foram deferidos (aceitos) e poderão concorrer. Outros 20 nomes renunciaram e não disputarão mais. Destes, 18 eram candidatos a vereador e dois a vice-prefeito.

Na sessão do pleno do TRE, realizada ontem, foi negado recurso do delegado federal Márcio Greik que teve candidatura pelo MDB na Serra suspenso. Márcio teria registrado seu nome como candidato a prefeito sem aval da sigla, o que ele nega já que o MDB teria pedido sua dispensa da PF para concorrer e depois desistiu por conta de interferência.

A defesa do delegado disse que respeita a decisão, mas promete recorrer, pois o pedido de candidatura dele não foi submetido aos convencionais do partido que votam durante as convenções.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS